Outras: 100 Milhas Piracicaba tem campeão inédito

60 Milhas Turismo tem dupla bicampeã.

Foi debaixo de muito sol que os motores roncaram e levantaram poeira neste domingo, dia 17, no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA). O autódromo foi palco da décima nona edição das 100 Milhas Piracicaba, prova que contou com duas corridas, as 100 Milhas de Autocross, que foi vencida por um piracicabano, Celso Meneghel Silveira Mello, filho do também piloto Celso Silveira Mello, e sua preliminar, que está na sexta edição, as 60 Milhas de Turismo, vencida pela mesma dupla do ano passado, os agora bicampeões Alexandre Passareli e Herbert Reif, de São Paulo.


 


A largada da 60 Milhas, com 20 competidores e 49 voltas para percorrer, foi dada ao meio-dia, com o piracicabano João Marcelo na primeira posição. Mas o favorito não estava em seu dia de sorte. “Esta é única prova da minha carreira (de 9 anos) que ainda não ganhei”, disse o piloto, que só correu metade da primeira volta. “Tive problemas na mangueira de óleo”, explicou resignado.


 


O dia não estava favorável também para as primeiras mulheres a correr uma 60 Milhas, a dupla Daniella Giannetti e Alessandra Pacheco. “Tivemos problemas com o câmbio. Troquei com minha parceira, mas não adiantou”, falou Daniella. “Mas foi muito prazeroso, pura adrenalina”, contou Alessandra. “Com certeza. Foi emocionante correr ao lado desses pilotos. Eles correm muito! Mas na próxima estaremos de igual para igual”, completou Dani.


 


Azar de uns, sorte de outros. Pelo segundo ano consecutivo, a dupla Herbert e Alexandre ficou com a primeira posição, que foi muito disputada e decidida apenas quando faltavam quatro voltas para o final.  “É muito bom ser bicampeão. É uma prova longa, cansativa e competitiva”, disse Herbert. Muito contente Alexandre agradeceu a toda a equipe que os ajudou.


 


Em segundo lugar ficou o piracicabano Du Viana, que, apesar do cansaço, estava bastante otimista: “Vamos esperar o ano que vem.” E em terceiro, mais um conterrâneo: Rodrigo Stefanini, que na penúltima volta torceu muito para o carro não parar.  “A segunda marcha do carro quebrou, então desde a segunda volta corri apenas com terceira e quarta marchas. Como se não bastasse, na penúltima volta quase acabou o combustível, mas acabou dando tudo certo”, comemorou.


 


Com 13 pilotos na pista, a prova foi concluída em 1 hora e 20 minutos. Ainda na expectativa do início das 100 Milhas, prova da qual participou, Dito Giannetti, piloto e proprietário do ECPA, comentou o desempenho da dupla bicampeã: “Foi uma prova muito boa, tudo dentro dos ritmos normais, sem acidentes. Herbert e Alexandre venceram no ano passado e este ano tiveram uma estratégia perfeita. Não foi fácil, pois o Du Viana estava na cola. Mas eles conseguiram assumir a primeira posição e mostraram que estavam para ganhar”.


 


100 Milhas


A largada das 100 Milhas foi dada pontualmente às 15 horas, com 12 pilotos e 82 voltas para a disputa. O carioca Wellington Antunes largou na primeira posição e o campeão de 2007, Dito Giannetti, na quarta.


 


A disputa pelo primeiro lugar foi acirrada, entre Welington Antunes e Celso Meneghel, que até para o box foram juntos faltando 25 voltas para o término da corrida. Welington, que já ganhou a prova duas vezes, manteve-se na frente durante a maior parte do tempo, mas Celso conseguiu uma bela ultrapassagem faltando 16 voltas para o final, assumindo a liderança.


 


“Quando voltei do abastecimento, deu câimbra no pé direito. Tentei acelerar com o calcanhar, mas acabei perdendo a força”, explicou Wellington, que após cruzar a linha de chegada em segundo lugar precisou de socorro médico, mas logo se recuperou.


 


Para Celsinho, o campeão, a prova foi muito boa. “Mas a vitória não é só minha, é dos mecânicos também. A vitória não se constrói da noite para o dia, é todo um jogo de equipe”, afirmou satisfeito o piloto que escreveu seu nome na história da prova e passa a constar no rol dos vencedores, feito que seu pai ainda não conquistou. Celso Silveira Mello teve o moto de sua gaiola quebrado ainda na volta 27.


 


Na terceira posição ficou Vinícius Henrique, que teve problemas com a mangueira de combustível. “Acabou o álcool da bomba na hora do meu último reabastecimento”, falou inconformado, pois entrou no Box quando ocupava a primeira posição na prova.


 


E o dia realmente não era da família Giannetti. As terceira e quarta marchas do carro de Dito quebraram, o que o fez ficar na última posição. “Mas quis levar até o fim para não desistir”, contou. Com nove pilotos, A prova terminou com uma hora e 57 minutos uma das mais rápidas de sua história.


 


Confira os cinco primeiros colocadas em cada uma das provas


Resultado 60 Milhas Turismo


1-    Alexandre Passareli e Herbert Reif (Gol) 465 – São Bernardo do Campo/SP


2-    José Eduardo Vianna (Gol) 425 – Piracicaba/ SP


3-    Rodrigo Stefanini (Pálio) 403 – Capivari/SP


4-    Luiz Augusto Alves (Gol) 445 – Sumaré/ SP


5-    Gino / Diego Bolognesi (Gol) 460 – Santos/ SP


Resultado 100 Autocross


1-    Celso Meneghel Silveira Mello 482 – Piracicaba/ SP


2-     Welington Antunes 609 – Nova Iguaçu/ RJ


3-     Vinícius Henrique 404 – São Paulo/ SP


4-    Rick Fragnani 412 – Corderópolis/ SP


5-    Paulo Barbosa dos Santos 510 – Cuiabá/ MT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *