Rali-Dakar: Paulo Nobre é o melhor brasileiro no Lisboa-Dakar 2007

Ao lado do navegador português, Filipe Palmeiro, Palmeirinha termina a prova na 37ª colocação.


Chegou ao fim, hoje (21 de janeiro), a 29ª edição do Rally Lisboa-Dakar 2007. O piloto francês Stephane Peterhansel (Mitsubishi) venceu a prova sem conquistar nenhuma especial e sagrou-se o maior vencedor do Dakar, somando nove vitórias (seis na categoria Motos e três na categoria Carros).

Entre os brasileiros, Paulo Nobre foi quem obteve o melhor resultado entre os carros, ficando na 37ª colocação ao lado do navegador português Filipe Palmeiro. Em sua segunda participação na prova Nobre conquistou três 15º lugares, além de seis colocações entre os vinte primeiros em especiais. “Tirei um peso das minhas costas por ter conseguido terminar a prova e estou muito feliz e orgulhoso por ter o carimbo do Dakar no meu “passaporte” de rali. A 37ª posição não era a colocação que eu imaginava ter e agora que completei a prova posso dizer que poderia ter tido um resultado entre os 20 primeiros. Mas o que aconteceu em Portugal acabou com as minhas expectativas, mas vi que consigo andar entre os 20 primeiros. Para melhorar isso e ficar próximo dos 10 primeiros tenho que aprender mais ainda, principalmente nas dunas”, revelou Palmeirinha.

O brasileiro ainda fez uma avaliação sobre a partipação dos brasileiros na prova. “Para mim, os grandes destaques do Brasil foram o Carlos Ambrósio nas motos e o Riamburgo Ximenez nos carros, que completaram seu primeiro Dakar com maestria. Isso mostra que os pilotos tem condições de andar aqui e no mínimo terminar a prova. Uma pena o Sylvio Barros e o Dimas Mattos, que vinham andando muito bem nas motos tiveram que abandonar por acidentes. Infelizmente, nas motos é assim, enquanto nós de carro, damos cambalhota e seguimos, com eles um mero tombo pode machucar tirar da prova. O André Azevedo e sua equipe conquistaram um belo 5º lugar entre os caminhões e ele poderia ter ido melhor se não fossem os problemas mecânicos”.

“Já eu, o Jean (Azevedo) e o Klever (Kolberg) estamos de parabéns por ter terminado a prova, mas acho que ficamos devendo na classificação geral. O Klever por ter a experiência de 20 anos de prova, o Jean por já fazer parte dos pilotos que tem chances de vitória e eu pela equipe e pelo carro que tinha, apesar da falta de experiência. Mas rali tem dessas coisas, e os problemas mecânicos que enfrentamos nessa prova impediram que conseguissêmos corresponder as nossas expectativas.”

Nobre ainda apontou outros destaques do Lisboa Dakar 2007. “A Volkswagen é um dos destaques dessa edição. Fez um carro que venceu a maioria das especiais. Mas para vencer a prova isso não basta, tem que ter estrela. E a estrela nessa competição se chama Stephane Peterhansell. Ele é fantástico. Na hora que a coisa aperta ele tira leite de pedra, é incrível. E a Mitsubishi, que apesar de alguns problemas que enfrentou neste ano, não venceu nenhuma etapa mas conseguiu fazer dobradinha na classificação final. Estão de parabéns. Já a minha equipe, a New Dimension X-Raid ia conquistar um excelente 4º lugar com o Nasser Al Attiyah e a vitória entre os carros diesel, mas um problema com o radar na última especial acarretou numa punição. Mas a X3 mostrou que é um carro competitivo e pode dar muito trabalho no futuro”, observou.

O piloto palmeirense ainda revelou sua maior emoção no Dakar deste ano. “Ah, o que mais me emocionou foi ter subido a rampa no final da prova carregando a bandeira do Palmeiras. Era um sonho que eu tinha e hoje foi realizado. E com isso posso dizer, o Palmeiras chegou a Dakar”, concluiu.

Resultado da 15ª etapa

1º Giniel de Villiers/Dirk Von Zitzewitz (África do Sul – Volkswagen), 7min42s
2º Carlos Sainz/Michel Perin (Espanha – Volkswagen), a 02s
3º Robby Gordon/Andy Grider (EUA – Hummer), a 26s
4º Carlos Sousa/Andreas Schulz (Portugal – Volkswagen), a 42s
5º Jean Louis Schlesser/Arnaud Debron (França – Schlesser/Ford), a 43s
6º Freddy Loix/Herman Vaanholt (Bélgica – Buggy), a 53s
7º Jutta Kleinschmidt/Tina Thorner (Alemanha – BMW), a 1min02s
8º Michael Petersen/Matthew Stevenson (EUA – Buggy), a 1min07s
9º Miguel Barbosa/Miguel Ramalho (Portugal – Proto), a 1min09s
10º Nani Roma/Lucas Senra (Espanha – Mitsubishi), a 1min17s
12º Klever Kolberg/Eduardo Bampi (Brasil – Mitsubishi), a 1min24s
15º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (Brasil – BMW), a 1min28s
57º Riamburgo Ximenez/Lourival Roldan (Brasil – Mitsubihi), a 3min29s


Moto

1º Janis Vinters (Letônia – KTM), 8min42s
4º Jean Azevedo (Brasil – KTM), a 28s
79º Carlos Ambrósio (Brasil – KTM), a 11min55s


Caminhão

1º Arjan Brouwer/Simon Koetsier/Gerard Van Veenendaal (Holanda – Ginaf), 9min39s
7º Andre Azevedo/Maykel Justo/Jaromir Martinec (Brasil – Tatra) a 1min07s


Resultado final da prova

Carro

1º Stephane Peterhansel/Jean Paul Cottret (França – Mitsubishi), 45h53min37s
2º Luc Alphand/Gilles Picard (França – Mitsubishi), a 7min26s
3º Jean Louis Schlesser/Arnaud Debron (França – Schlesser/Ford), a 1h33min57s
4º Mark Miller/Ralph Pitchford (EUA – Volkswagen), a 2h10min16s
5º Hiroshi Masuoka/Pascal Maimon (Japão – Mitusbishi), a 2h44min31s
6º Nasser Al Attiyah/Alain Guehennec (Catar – BMW), a 3h31min59s
7º Carlos Sousa/Andreas Schulz (Portugal – Volkswagen), a 5h13min22s
8º Robby Gordon/Andy Grider (EUA – Hummer), a 7h04min07s
9º Carlos Sainz/Michel Perin (Espanha – Volkswagen), a 7h25min45s
10º Stephane Henrard/Brigitte Becue (Bélgica – Volkswagen), a 8h28min29s
37º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (Brasil – BMW), a 18h16min01s
52º Riamburgo Ximenez/Lourival Roldan (Brasil – Mitsubishi), a 23h22min46s
57º Klever Kolberg/Eduardo Bampi (Brasil – Mitsubishi), a 27h34min09s


Moto

1º Cyril Despres (França – KTM), 51h36min53s
25ª Jean Azevedo (Brasil – KTM), a 9h44min45s
50º Carlos Ambrósio (Brasil – KTM), a 16h26min26s


Caminhão

1º Hans Stacey/Charly Gotlib/Bernard Der Kinderen (Holanda – MAN), 54h03min05s
5º Andre Azevedo/Maykel Justo/Jaromir Martinec (Brasil – Tatra), a 5h15min57s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *