Rally: Brasileiro chega perto da liderança das motos no Rally dos Sertões 2008

José Hélio venceu mais etapa e está a 1min35seg de Cyril Despres; Giniel de Villiers e Dirk von Zitzewitz ampliam vantagem entre os carros, Ricardo Purri confirma primeira vitória nos quadriciclos e caminhão de Edu Piano dispara na liderança.

José Hélio (Honda) chegou mais perto da liderança geral das motos do Rally Internacional dos Sertões. O brasileiro venceu a terceira etapa, realizada nesta sexta-feira, entre Aruanã e Niquelândia, em Goiás, e está a 1min35seg do líder francês Cyril Despres (KTM). O percurso incluiu 417 quilômetros no total, sendo 262 de trecho cronometrado. Neste sábado, os competidores disputam a primeira Etapa Maratona, entre Niquelândia e Paranã, no Tocantins, a qual não per mite apoio mecânico após os 484 quilômetros previstos – 432 deles cronometrados.

Entre os carros, a dupla da Volkswagen Giniel de Villiers (África do Sul) e Dirk von Zitzewitz (Alemanha) manteve a invencibilidade e abriu ainda mais a vantagem sobre os companheiros de equipe Mark Miller (Estados Unidos) e Ralph Pitchford (África do Sul): 12min02seg. Em terceiro estão os brasileiros Reinaldo Varela e Marcão Macedo (Mitsubishi). Nos quadris, o destaque do dia foi Ricardo Purri (Honda) e o caminhão dos atuais campeões Edu Piano, Sólon Mendes e Davi Fonseca (Ford) venceu novamente, disparando na liderança.

Na chegada ao parque de apoio, o tricampeão do Sertões José Hélio desviou o foco dos adversários. “A disputa maior é comigo mesmo. A especial foi muito sinuosa, mas de alta velocidade. Agora é preparar a moto para a Etapa Maratona”, com entou.

O sul-africano Giniel de Villiers está tirando de letra a sua primeira participação na prova. “Até agora o Rally dos Sertões não tem sido difícil. Hoje foi melhor que ontem. O dia foi ótimo para dirigir. Acredito que amanhã vai ser um pouco mais pesado, já que a etapa será mais longa”, comentou. O piloto Mark Miller considerou a prova de hoje um pouco perigosa. “Tivemos que andar mais devagar para ultrapassar as motos e quadriciclos”, explica.

Apesar de ter largado em quarto entre os quadriciclos, Ricardo Purri fez uma corrida muito boa, deixando várias motos e até mesmo outros competidores da mesma categoria para trás. “Agora estou na expectativa para a etapa maratona”, completou.

Quarta etapa – Etapa considerada a mais difícil de todas as edições do Sertões. O formato será “Maratona”, com quase 60km de trial. Haverá passagem por serra, que permite velocidades altas, além de piçarra e travessia de rio com pedras roliças. Com visuais belíssimos, a etapa exigirá alto grau técnico de pilotos e navegadores.

O total do dia será de 484 quilômetros, sendo 47 de deslocamento inicial, 432 de trecho cronometrado e cinco de deslocamento final.

O Rally Internacional dos Sertões “estréia” nesta temporada como etapa do Campeonato Mundial para carros e caminhões – algo que já ocorre entre motos e quadriciclos desde 2005. Evento bateu recorde de estrangeiros com 36 competidores vindos de 13 países. A chegada da prova está marcada para o dia 27 de junho, em Natal (RN), após 4.734 quilômetros de disputas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *