Rally dos Sertões: Competidores e organização vivem expectativa do início da maratona

17ª edição do Rally Internacional dos Sertões começa nesta terça-feira (23)

Na véspera do início da 17ª edição do Rally Internacional dos Sertões, foi realizada a entrevista coletiva de apresentação da competição. Nesta segunda-feira (22), em Goiânia (GO), algumas das principais estrelas e os organizadores atenderam a imprensa e falaram sobre toda a expectativa que vivem para o começo da maior aventura brasileira.

Na mesa que ficou à disposição da imprensa, no Heliponto do Rally, estiveram: Marcos Moraes, Diretor Presidente da Dunas Race; Cleyton Pinteiro, Presidente da CBA; Barbosa Neto, Presidente da Goiás Turismo; Carlos Ronay, diretor de infra-estrutura e operações turísticas da Goiás Turismo e presidente do Fórum Estadual de Turismo; o espahol Carlos Sainz e o qatarense Nasser Al-Attiyah, pilotos da equipe Volkswagen; Maurício Neves e Eduardo Bampi, dupla brasileira da equipe Volkswagen; Zé Hélio, piloto campeão de moto no ano passado; e Edu Piano, Sólon Mendes e Davi Fonseca, trio campeão de caminhões em 2008.

Confira as principais declarações da coletiva desta segunda-feira (22):
Marcos Moraes, Diretor Presidente da Dunas Race
“O nível técnico será maior que nos outros anos, pois todas as etapas de 2009 serão muito mais completas e desafiadoras para pilotos e navegadores. Teremos 51% do Rally realizado em especiais e em 2008 voltamos a ultrapassar a marca dos 5 mil quilômetros, o que não acontecia desde 2001”.

Carlos Ronay, diretor de infra-estrutura e operações turísticas da Goiás Turismo e presidente do Fórum Estadual de Turismo
“Este é o oitavo ano consecutivo que realizamos a largada do evento em Goiânia. Isso já virou tradição em nosso Estado. Por isso, esperamos um público de 20 ou 25 mil pessoas no Prólogo, que acontece nesta terça-feira. O Rally movimenta uma cadeia produtiva muito grande, que gera frutos dentro e fora do país. Além disso, Goiás pode mostrar as suas riquezas e comprovar que é uma potência turística”.

Cleyton Pinteiro, Presidente da CBA
“No último domingo, completei 90 dias na presidência e para mim é uma honra contar com uma prova como o Rally dos Sertões. Qualquer federação do mundo ficaria orgulhosa de realizar um rally como esse. Até o término do meu mandato, espero inserir esta competição no Campeonato Mundial de Rally”.

Barbosa Neto, presidente da Goiás Turismo
“É uma satisfação receber o Sertões no Estado de Goiás. Só entre policiais militares e o corpo de bombeiros teremos mais de 450 homens. Ao todo, teremos mais de mil pessoas trabalhando em Goiás. Um terço da prova acontece no nosso Estado. Investimos cerca de R$1 milhão na prova e o retorno que isso nos trás é excelente. Seremos divulgados no Brasil e no mundo”.

Carlos Sainz, piloto da equipe Volkswagen
“Será uma competição especial, em um novo país, e vou estrear um novo navegador, o Lucas Cruz Senra. Já analisei a prova e espero muita dificuldade. Os meus amigos que já participaram do Sertões me falaram muito bem da prova e que a planilha é muito precisa e detalhada. Eu também conversei com o Maurício (Neves) e com o pessoal da equipe do ano passado para me informar sobre as dificuldades do rally e o objetivo é conseguir os melhores resultados. Depois que eu vi as imagens da prova fiquei meio assustado (risos)”.

Nasser Al-Attiyah, piloto da equipe Volkswagen
“Espero conquistar bons resultados. Nosso objetivo é levar a Volkswagen ao topo e também nos prepararmos melhor para o Dakar. Apesar de ter vindo três vezes ao Brasil, esta é a primeira vez que estarei aqui competindo. Vai ser um grande desafio, principalmente por eu também ser um piloto novo na equipe”.

Maurício Neves, piloto da equipe Volkswagen
“Nada que é feito pela primeira vez é muito bom (sobre o primeiro treino com o carro, realizado no início da semana). Por isso, treinamos novamente ontem e já deu para sentir um pouco melhor como é o carro. Mesmo assim acredito que devo conhecer o Touareg de verdade somente no meio do rally. Em 2008, (a equipe VW) ficamos na primeira e segunda colocação. Este ano, espero que a equipe fique com os três primeiros lugares e eu esteja entre eles”.

Eduardo Bampi, navegador da equipe Volkswagen
“(Sobre o convite da VW para que ele e Neves conduzam um Touareg em 2009) Nós dois somos de Curitiba e a equipe procurava um navegador que falasse inglês e que já tivesse boa participação no Sertões. A experiência no Dakar também contou muito para que a Volkswagen nos escolhesse como uma das duplas em 2009”.

Zé Hélio, piloto campeão de moto em 2008
(Sobre suas chances em 2009 e a forte oposição) “Minhas chances de vencer a edição 2009 são as mesmas dos outros anos. Não me preocupo com os outros pilotos. Corro por que me divirto quando subo na moto. Faço minha corrida sem pensar nos concorrentes. Estou muito feliz por ver esse número de pilotos no Rally dos Sertões mesmo em um ano de crise”.

Edu Piano, piloto campeão de caminhões em 2008
(Sobre a dificuldade de pilotar um caminhão no rally) “Não tenho tempo para fazer uma preparação física perfeita, pois tenho um negócio próprio, além de ser piloto de competição. Mas a equipe, como sempre, está bem preparada pra competir no Rally do Sertões”.

Sólon Mendes, navegador campeão de caminhões em 2008
(Sobre as dificuldades oferecidas pela prova) “Superar a si próprio é sempre o maior desafio em um rally como esses. Dois meses antes já preparei o caminhão para que não tenhamos nenhum problema na prova. O grande desafio é estar preparado sempre preparado para tudo”.

Davi Fonseca, apoio mecânico campeão de caminhões em 2008
“O segredo no Sertões é preparar o caminhão com antecedência, muito antes de o rally começar. Estamos trabalhando o veículo há três meses para que ele consiga superar esta prova, que soma mais cinco mil quilômetros”.

O Rally dos Sertões 2009 é patrocinado por Petrobras e apoiado pelos Governos dos Estados de Goiás, Tocantins e Rio Grande do Norte, Ministério do Turismo, Goiás Turismo, Shopping Flamboyant, DCCO – Geradores e Motores Cummins, SAMA, Mitsubishi Motors e MACBOOT. O evento ainda conta com supervisão da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) e da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *