Rally dos Sertões: Nobre/Palú capotam mas continuam vivos na prova

(Dupla da Palmeirinha Rally capotou sua BMW X3 nesta segunda-feira e só voltou a prova com ajuda da dupla Franciosi/Capoani, e terminou o dia na 6ª colocação)

 


E Paulo Nobre e Luiz Palú (Link Trade) voltaram a enfrentar um dia complicado na 18ª edição do Rally dos Sertões. Na 6ª etapa disputada entre Dianópolis/TO e São Felix do Tocantins, a dupla da Palmeirinha Rally capotou sua BMW X3 no trecho cronometrado de 330 km. Apesar do susto e do tempo perdido, eles conseguiram voltar ao rali com a ajuda da da dupla João Franciosi/Rafael Capoani e terminaram o dia na 6ª colocação entre os carros.


A etapa de hoje marcou a entrada do rali no temido do deserto do Jalapão, mas o trecho de hoje não apresentou as dificuldades de anos anteriores como explica o piloto Paulo Nobre. “Contávamos com uma etapa do Jalapão à moda antiga. Piso de areia pesado e muito técnico onde acontecia uma “plantação de carros” que ferviam pelo caminho. Era a nossa chance de descontar o tempo das penalizações de radar e nos aproximarmos dos líderes. Mas o Jalapão moderno tinha 2/3 com estradões largos ou estradas estreitas, mas sempre com retas e piso batido muito bom. Aí complicou para nós que estamos na “raba da lagarta”, no “chocalho da cascavel”. Numa curva com muito cascalho solto acabamos escorregando demais e capotamos. Nessa etapa que imaginávamos tirar tempo dos líderes, ficamos ainda mais longe. Tá muito difícil, mas como rali é uma caixinha de surpresas e só acaba quando termina, como no futebol, não desistimos nunca e vamos acelerar de com tudo de novo”.


Mesmo com o acidente, a BMW X3 usada por Nobre e Palú não apresentou danos suficientes que atrapalhem a disputa da 7ª etapa, que marcará a saída da caravana do Sertões do Jalapão. “Queria agradecer muito aos nossos anjos da guarda Franciosi e “Pica-Pau”(Capoani). Porque com a tração quebrada, eles fizeram valer o verdadeiro espírito do rali, que quando não se está mais na disputa ajudaram um companheiro com problemas. No rali o mundo é bem redondo, um dia se está por cima e no outro pode se precisar da ajuda de alguém. Graças a eles estamos vivos na prova”, contou Nobre.


Hoje aconteceu a primeira parte da etapa maratona. Ou seja, na chegada a São Felix do Tocantins os carros não puderam passar pela revisão feita pelos mecânicos no parque de apoio como nas etapas anteriores. Dessa maneira, amanhã os competidores largaram com o carro nas mesmas condições que terminaram o dia de hoje. A 7ª etapa do Rally do Sertões será disputada entre São Felix do Tocantins/TO a Balsas/MA, numa distância de 520 km, sendo que 485km serão de trecho cronometrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *