Rally: Niterói Rally Team é pega de surpresa no segundo dia do Transparaná

O Transparaná surpreendeu. Em trecho de puro barro, as duplas que não estavam com pneus adequados para piso liso, tiveram dificuldades para controlar o veículo, atrasaram o tempo de prova e perderam pontos importantes.

O 15º Transparaná já rendeu muita emoção aos competidores, principalmente no segundo dia de prova, 27 de janeiro. A etapa, que largou de Cianorte com destino a Apucarana, teve 233 quilômetros, e surpreendeu a maioria dos competidores.

“Devido às características típicas do lugar, esperávamos percorrer um caminho seco. Mas num determinado momento, fomos surpreendidos por muito barro, e exatamente neste ponto, havia alguns balaios no meio de plantação de cana-de-açúcar que testaram nossa inteligência e perícia”, comentou o piloto Ricardo Barra, da Niterói Rally Team.

Várias equipes entraram para a disputa com pneu próprio para piso seco, que foi totalmente prejudicial nesta ocasião. “O carro escorregava demais, foi difícil manter a média que a planilha exigia. Sem contar, que conforme o veículo patina é preciso acertar o hodômetro, então tive que simultaneamente cantar as referências ao piloto e também corrigir as variações falsas que ele apresentava”, contou o navegador Ronald Leis. “Neste trecho atrasamos nosso tempo de prova em dois minutos aproximadamente”, completou.

Até o período da manhã, o percurso era bastante semelhante ao que os participantes vivenciaram durante a segunda-feira passada, com estradões de longas retas e terra batida. À tarde, depois do almoço em Jandaia do Sul, a situação mudou um pouco, com a aparição de cascalhos e trilhas.

A Niterói Rally Team, que fazia uma prova excepcional até o trecho de barro e mantinha-se entre os quatro primeiros colocados, agora controla a ansiedade até a divulgação dos resultados. “A maioria esmagadora dos participantes apostaram em pneu para piso seco, e com isso, todos embarcaram na mesma armadilha, agora, resta saber quem se deu menos mal”, lamentou o piloto.

Está foi a segunda vez que Apucarana recepcionou o evento, a primeira foi em 1995. As duplas começaram a chegar ao local por volta das 15 horas, e foram recebidos com uma grande festa. Amanhã, 28, a cidade comemora 65 anos, e por este motivo, preparou um delicioso jantar para os competidores que teve como prato principal Costelada de boi – prato típico do município.

A refeição é preparada pela Instituição Serra Mula – organização filantrópica que realiza todas as quartas-feiras esse jantar para arrecadar fundos para entidades carentes. Mas como hoje foi um dia atípico, o pessoal da cidade antecipou para que a caravana do Transparaná tivesse a oportunidade de degustar deste delicioso prato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *