Rally: Nobre/Palmeiro ficam presos em funil na Tunísia

Dupla luso-brasileira tinha excelente desempenho na 4ª etapa até ficar “entalada” com sua BMW.

O piloto brasileiro Paulo Nobre esteve próximo de um grande resultado na 4ª etapa do Rally da Tunísia 2007. Correndo em uma BMW X3 e tendo como navegador o português Filipe Palmeiro, Palmeirinha, vinha em um ritmo de prova que podia lhe colocar entre os melhores do dia até passar por um “funil” durante a especial de 262km e acabou perdendo muito tempo para “desentalar” o carro, o que só ocorreu com a ajuda de outro participante. A vitória no dia de hoje ficou mais uma vez com a dupla francesa Jean Luis Schlesser/Arnaud Debron, a bordo de um buggy Schlesser.

“Foi uma pena aquele “funilzinho” inconveniente no meio da prova. O carro encaixou certinho nele e ficamos entalados. Agradeço aos amigos Inocencio e Fiuza que nos deram um puxão e lamento um amigo nosso que até já correu provas comigo na mesma equipe e passou reto. Mas deixa pra lá, que rali é uma estrada de duas mãos”, lamentou o piloto palmeirense, que prosseguiu. “Na metade da prova já tínhamos passado a Patissier, que largou 6 minutos antes de nós e ela ficou a 15 minutos do líder hoje. Logo a conclusão é que nosso tempo seria um temporal “se” não fosse aquele “funil”. Mas “se” urubu cantasse estaria na giola e não lá em cima voando”, brincou.

O problema enfrentado por Nobre/Palmeiro fez com que a dupla terminasse o dia na 8ª posição, mesma colocação ocupada na classificação geral da prova. “Saímos da Especial de hoje contentes com nossa performance. Passamos bem pelo dia 100% de areia e dunas, e fomos competitivos de verdade. E a suspensão da X3 é uma brincadeira de boa, quanto mais se acelera mais percebesse que dá para acelerar!”, revelou Nobre.

Nesta quinta-feira, o Rally da Tunísia deixa El Borma e parte em direção de Nekrif, com uma etapa de 312 km de trecho cronometrado e 26 km de deslocamento.

O resultado da 4ª etapa do Rally da Tunísia 2007:
1º Jean Louis Schlesser/Arnaud Debron (Schlesser), 3h05min22s
2º Christian Lavieille/ François Borsotto (Nissan), a 8min04s
3º Jose Luis Mojterde/Jean Marie Lurquin (Nissan), a 10min20s
4º Isabelle Patissier/Thierry Delli Zotti (SMG), a 14min40s
5º Pascal Thomasse/Pascal Larroque (Nissan), a 17min28s
6º Philippe Gache (SMG), a 19min48s
7º Dominique Housieaux/Jean Michel Polato (Mitsubishi), a 24min05s
8º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 38min25s
9º Gerard Benielli/Jean Bruno Lomelet (Renault), a 39min54s
10º Jerome Pelichet/Eugenie Decre (Bowler), a 44min25s

O resultado da prova após quatro etapas realizadas:
1º Jean Louis Schlesser/Arnaud Debron (Schlesser), 7h58min02s
2º Christian Lavieille/ François Borsotto (Nissan), a 18min44s
3º Pascal Thomasse/Pascal Larroque (Nissan), a 57min52s
4º Philippe Gache (SMG), a 59min30s
5º Isabelle Patissier/Thierry Delli Zotti (SMG), a 1h00min37s
6º Dominique Housieaux/Jean Michel Polato (Mitsubishi), a 1h08min20s
7º Jose Luis Mojterde/Jean Marie Lurquin (Nissan), a 1h28min00s
8º Paulo Nobre/Filipe Palmeiro (BMW), a 1h40min04s
9º Jerome Pelichet/Eugenie Decre (Bowler), a 1h55min16s
10º Francisco Inocêncio/Paulo Fiuza (Mitsubishi), a 2h01min02s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *