Rally: Pilotos da equipe Honda planejam arrancada na terceira etapa do Piocerá

Com bons desempenhos nos dois primeiros dias, Dário Júlio e Sandro Hoffmann seguem firme na luta por mais um título.

Os pilotos da equipe Honda, Dário Júlio e Sandro Hoffmann, seguem focados na disputa da 22ª edição do Enduro Piocerá, que teve início ontem. Nesta quinta-feira (29), os competidores mantiveram o bom desempenho durante a segunda etapa e já planejam uma arrancada em direção ao título na próxima fase, nesta sexta-feira. O trecho percorrido será entre as cidades de Parnaíba (PI) e Sobral (CE) e incluirá uma especial de 150 quilômetros. No primeiro dia de prova, o mineiro Dário Júlio garantiu a segunda colocação e Sandro Hoffmann a terceira. O vencedor foi o cearense Helâindo Onofre. O resultado oficial de hoje ainda não foi divulgado. A competição será decidida no próximo sábado, quando os competidores finalizarem a quarta etapa entre as cidades de Sobral e Caucáia, no Ceará.

Dá rio, que considerou as duas primeiras etapas sem grandes dificuldades, espera um dia mais complicado amanhã. “Quero partir com tudo para buscar o resultado. Teremos uma prova com muitas dunas, o que torna a navegação mais difícil. É claro que não só para mim, mas para todos”, previu o piloto que enfrenta as trilhas do Cerapió com a motocicleta Honda CRF 230F. A manutenção dos equipamentos também não apresentou imprevistos até agora. “Como a prova não exigiu muito, não tive nenhum problema. A moto está ótima. Só vou trocar o óleo por causa da alta quilometragem percorrida”.

O mineiro contou que hoje o dia teve menos trilhas técnicas em relação à etapa de abertura. “Foi uma prova mais leve, com trilhas mais abertas. Porém, na parte da manhã cometi um erro. Como vários pilotos cometeram a mesma falha, isso não atrapalhou muito. Consegui fazer um tempo bem próximo do exigido pela prova”, completou.

O hexacampeão do Piocerá, Sandro Hoffmann, também segue confiante, mas acredita que o trecho de areia desta sexta-feira possa dificultar um pouco as coisas. “Como estamos acostumados a andar em solos mais duros no Sudeste e aqui a areia é muito fofa, a moto tem a possibilidade de afundar mais. Nada que não possamos driblar”.

O piloto que utiliza a motocicleta Honda CRF 250X destaca a competitividade desta edição. “Está uma briga bem acirrada. Esse novo sistema deu uma nova chance aos competidores que tem menos experiência. Como o dia é dividido em duas etapas, se um piloto se sair mal na parte da manhã, ele pode se recuperar à tarde”, analisou o capixaba que conta que a prova de hoje exigiu muita concentração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *