Rally: Próxima etapa da Copa RallySP pode ser decisiva para os caminhões

Empatados na primeira posição Amable Barrasa/José Papacena e André Azevedo/Maikel justo vão em busca de pontos que podem decidir os futuros campeões.

De um lado a Amable Barrasa/José Papacena a bordo da F-4000 (FORD), do outro André Azevedo/ Maikel Justo com o ATEGO 1725 (Merecedes-Benz), ambas as duplas têm mesmo número de pontos na classificação entre os caminhões (30 pontos cada), por isso a 5ª Etapa da Copa RallySP Cross Country – Rally Cidade Imperial – pode ser decisiva para a equipe que deseja conquistar o título da temporada.

O desafio acontece na cidade de São Luiz do Paraitinga, localizada na região do Vale do Paraíba, a 170 km da capital paulista, dentro de três fazendas de reflorestamento de eucalipto da região, todas interligadas entre si. De acordo com a organização da prova os competidores terão a oportunidade de acelerar forte, já que o piso é duro, além disso, o trajeto possui muitas subidas e descidas, uma prova em que o navegador pode fazer a diferença.

A rivalidade entre as Equipes Autoliner e Petrobras Lubrax é antiga. Durante os 10 dias em que foi disputado o 16º Rally Internacional dos Sertões, (de 17 e 28 de junho), as equipes se revezaram entre as primeiras posições, terminando com a Barrasa e Papacena na segunda posição (vice na T4-1) e André e Maikel Justo em terceiro, na classificação geral (campeões na T4-2).

De acordo com Amable Barrasa o caminhão F-4000 da equipe já está pronto, e preparado para a próxima etapa, e ele espera sair na frente nessa disputa. “Nossa expectativa é tentar vencer, pois estamos empatados com o André, e faltam apenas três etapas para o término da competição, então temos que aproveitar todas as oportunidades”, afirma o piloto da equipe, que mesmo após a maratona dos Sertões não vê a hora de voltar a competir.

André espera que seu caminhão de sete toneladas, consiga desempenhar bem o papel em São Luiz do Paraitinga, pois segundo ele, o tamanho do veículo impõe mais dificuldade na hora de transpor alguns obstáculos, como árvores na estrada, ou trechos mais sinuosos. “Estamos liderando na classificação, ao lado da Equipe Autoliner, lembrando que nosso caminhão pesa por volta de sete toneladas, contra um veículo de aproximadamente 3.600kg. Os caminhões menores possuem certa vantagem em alguns trechos”, afirmou André.

A Equipe Salvini Racing, embora matematicamente não tenha chance de brigar pelo título – é o 5º na classificação – promete incomodar os concorrentes. De acordo com o navegador, Guido Salvini, no momento estão sendo feitos os últimos ajustes no caminhão Atego 1725 (Mercedes-Benz), e ele espera que tudo fique pronto a tempo da próxima etapa.

Guido demonstra empolgação em sua volta ao paulista, e acredita que o traçado preparado pela organização irá exigir atenção redobrada das equipes. “Será uma prova nova para todos os times, o que permite uma igualdade de condições. Estamos nos preparando para encarar um trajeto bastante técnico, que exigirá muita habilidade na pilotagem e na navegação. Estou certo também que a paisagem do local nos surpreenderá pela beleza”, falou Guido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *