Rally: Wilton Godinho está fora do Rally dos Sertões

Problemas na moto KTM impediram o representante pernambucano de seguir na 15ª edição do maior rali das Américas.

Essa tinha tudo para ser a melhor participação do representante pernambucano no Rally Internacional dos Sertões, Wilton Godinho. A perspectiva de competir pela primeira vez com uma moto específica para provas off road de velocidade, uma KTM 625 Rally, animou a equipe Pernambuco Enduro e Rally Team. Mas, a empolgação não chegou nem no primeiro dia de prova. Antes mesmo da largada da primeira especial, a moto apresentou um vazamento de óleo. O problema foi solucionado, mas um novo defeito apareceu no equipamento. Godinho, então, foi obrigado a abandonar a competição, na sua sexta participação consecutiva no rali.

Ontem, dia 9/8, foi um dia difícil para a equipe pernambucana, por causa do aparecimento de um vazamento de óleo no motor da KTM. Depois de ter abortado a largada no primeiro dia, por causa do problema, Godinho, o mecânico Maurício Oliveira e Flávio Câmara ainda tiveram que lutar contra o relógio para ter a moto em condições de competir na etapa de hoje, 10.

“O Maurício e o Flávio trabalharam a noite toda para solucionar o vazamento. Já era quase madrugada, quando ‘teoricamente’ a moto ficou pronta. O problema é que, no teste que fizemos, surgiu um outro defeito: vazamento de água no radiador”, lamentou Godinho, ressaltando o esforço da equipe.

Eram diversos micro-furos nos dois sistemas de arrefecimento da moto. “Pela quantidade de vazamentos, era quase impossível efetuar um reparo de forma confiável para seguir até o fim do rali na Bahia”, justificou o experiente Maurício, que está há seis anos na equipe.

Durante o prólogo realizado dia 8/8, em Goiânia, que definiu a ordem de largada para o rali, a KTM de Godinho não apresentou nenhum problema. “Desde os testes iniciais até o final do prólogo estava tudo bem”, comentou Flávio Câmara, lembrando que nos dois meses de testes que antecederam a competição, a moto não apresentou nenhum problema grave.

Sendo assim, Wilton Godinho, teve que tomar uma das decisões mais difíceis de toda a sua trajetória no Rally dos Sertões. O de abandonar a competição, sem sequer ter percorrido nem alguns metros de trilha. “Cheguei a essa 15ª edição do rali com boas perspectivas. Talvez as melhores dos últimos anos. Mas, os problemas na moto que se sucederam. Então, não quis insistir. O rali de velocidade é traiçoeiro. Quem sabe, não foi um aviso”, comentou o piloto, afirmando ter tomado a melhor decisão.

“Nosso problema foi apenas mecânico. Eu e minha equipe não tivemos nenhum arranhão, estamos todos bem. Para um rali onde acidentes e até morte acontecem, isso já é um motivo para voltarmos com a cabeça erguida, pensando já em 2008”, finalizou.

Foram seis anos de poucos problemas no Sertões

Problemas mecânicos são comuns em provas off road, principalmente as de longa duração como o Sertões e o Dakar. Durante os seis anos de participação no Rally dos Sertões, Wilton Godinho teve poucos problemas nos seus equipamentos, e nunca havia abandonado a prova. No ano de estréia, em 2002, o piloto teve o motor da sua Honda XR400 travado no 3º dia de competição. Mas, após reparos, retornou e finalizou o rali na 32ª posição na classificação geral. Em 2005, o pioneirismo de utilizar em provas no Brasil o sistema Tire Balls (sistema de bolas que são inseridas dentro dos pneus dianteiro e traseiro), lhe deixou dois dias parados na competição. Mesmo assim, Godinho conquistou a sétima colocação na categoria Production e o 28º lugar na geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *