Spyder Race Brasileiro: Na última corrida em Jacarepaguá, Fortes e Bueno vencem

Em corrida emocionante e com temperatura quente, Fernando Fortes e Jansen Bueno vencem nas suas respectivas categorias e encostam nos líderes.

Com temperatura alta, Fernando Fortes (SP Mec) venceu a terceira prova consecutiva na categoria e aproxima-se do líder do certame, o mato-grossense Raijan Mascarello (Guerra Motorsport) que terminou a prova carioca na segunda colocação.

Na largada, Fortes que era pole position perdeu a primeira posição para o paranaense Cesar Bonilha (Cesinha Competições), que fez uma excelente largada vindo do quarto lugar, e também para Mascarello.

A liderança de Bonilha, que é piloto da Copa Fiat, duraria apenas duas voltas: rodando sozinho, o piloto abandonou, deixando livre o caminho para Mascarello e Fortes que vinham muito próximos mostrando que fariam uma corrida muito disputada desde o começo.

Na categoria Spyder Race Light, Jansen Bueno (RSports) manteve a primeira colocação, seguido por Roberto Dal Pont (Arias Motorsport) que ganhou duas posições na largada, e Carlos Eduardo (Cesinha Competições).

O líder da categoria Spyder Race Light assumiria a segunda colocação duas voltas depois, mas o motor instalado no seu protótipo n° 17 rendendo menos do que o motor principal com problemas no treino classificatório, obrigava o piloto de londrina a forçar mais para tentar uma aproximação em Jansen, o que também causou um desgaste maior dos freios.

Na 8ª volta, Carlos sai da pista perdendo várias posições e caindo para o 5º lugar na categoria; uma volta antes, Fortes ultrapassa Raijan e assumiria a liderança da prova. Na mesma volta, Peter Jr. (SP Mec) que também largou no fundo do grid pela troca do câmbio, no final da reta dos boxes e por dentro, ganharia a posição de Dal Pont, pulando para o segundo lugar na categoria.

Correndo em casa, o carioca Valter Pinheiro (Guerra Motorsport) vinha na terceira colocação, aproximando-se volta a volta dos líderes. Na 12ª volta, visivelmente mais rápido que os líderes na aproximação, Pinheiro ao tentar dividir a curva à esquerda ao final da reta dos boxes de Jacarepaguá tocou no companheiro de equipe, fazendo com que a carenagem do protótipo encostasse no pneu dianteiro esquerdo.

Com o toque, a diferença entre Fortes e Raijan aumentou para 4s921 na 13ª volta, uma volta antes do box ser aberto para a parada obrigatória de 1min30s.

Na parada obrigatória, o carioca Alexandre Camara (Guerra Motorsport) parou nos boxes fora do tempo determinado, e por não pagar a punição de “Stop and Go”, foi excluído da prova. Sergio Martinez (SP Mec) e Fulvio Marote (RJ Racing) também foram punidos, mas por excesso de velocidade nos pits e pagaram a punição.

Na 27ª volta, Fortes mantinha-se na liderança não aliviando na tentativa de aumentar a diferença para Mascarello. Após a parada, Pinheiro cedeu o assento do seu Spyder Race para Leo Burti, companheiro de equipe do carioca também na Lotus do Campeonato Brasileiro de Gran Turismo.

Faltando duas voltas para o final, Carlos Eduardo já com problemas de freio, sai da pista e perde o segundo lugar para o paulista Jeferson Leandrini (Benfica Competições), que fez em Jacarepaguá uma de suas melhores e mais constantes apresentações pelo certame.

Jansen Bueno venceu a segunda consecutiva pela categoria Spyder Race Light em sua estreia pela equipe RSports comandada por Leandro Romera. Leandrini terminou na segunda colocação, seguido por Carlos Eduardo que somou pontos importantes no campeonato, Peter Jr., Roberto Dal Pont e Luiz Abbade (Rsports), que desceu do carro muito desgastado pelo forte calor no Rio de Janeiro.

Além de vencer na categoria principal e diminuir a diferença para o líder, Fortes na despedida de Jacarepaguá do automobilismo torna-se o mais vencedor na pista carioca, com duas vitórias (2011 e 2012) – o vencedor em 2010, ano de estreia do certame nacional de protótipos foi o paulista Fulvio Marote, que seria também o primeiro  campeão do certame ao final daquele ano.

A dupla formada por Valter Pinheiro e Leo Burti terminaram na terceira colocação, seguido pela dupla da RJ Racing, os paulista Henrique Assunção e Marote.

Com o resultado final, a diferença entre Raijan e Fortes que era de 16 pontos caiu para 8, enquanto na Spyder Race Light a emoção é garantida: Jansen e Carlos Eduardo empataram com 71 pontos, e Peter Jr. e Jeferson Leandrini estão em quarto, ambos com 57 pontos. Segundo colocado até antes da etapa carioca, Luciano Borghesi (Cesinha Competições) não terminou bem e caiu para a terceira colocação com 59 pontos.

Confira o resultado final da 5ª etapa do Campeonato Brasileiro de Spyder Race realizado em Jacarepaguá:

1º) 32 – Fernando Fortes (SP) – SP Mec – Race, 32 voltas em 45:55.022 (média de 128,24 km/h)
2º) 15 – Raijan Mascarello (MT) – Guerra Motorsport – Race, a 11.995
3º) 6 – Valter Pinheiro/Leo Burti (RJ/SP) – Guerra Motorsport – Race, a 34.005
4º) 75 – Henrique Assunção  (SP) – RJ Racing – Race, a 43.578
5º) 78 – Fulvio Marote (SP) – RJ Racing – Race, a 1:07.119
6º) 11 – Jansen Bueno (PR) – Rsports – Light, a 1 volta
7º) 44 – Jeferson Leandrini (SP) – Benfica Competições – Light, a 1 volta
8º) 17 – Carlos Eduardo (PR) – Cesinha Competições – Light, a 1 volta
9º) 18 – Peter Junior (SP) – SP Mec – Light, a 1 volta
10º) 96 – Roberto Dal Pont (SP) – Arias Competições – Light, a 1 volta
11º) 10 – Luiz Abbade (SP) – Rsports – Light, a 2 voltas
12º) 45 – Luciano Borghesi (PR) – Cesinha Competições – Light, a 3 voltas
13º) 28 – Sergio Martinez (SP) – SP Mec – Race, a 8 voltas
14º) 53 – Ronaldo Kastropil (SP) – Autogiro – Race, a 28 voltas
15º) 16 – Cesar Bonilha (SP) – Cesinha Competições – Race, a 30 voltas

Melhor Volta: Fernando Fortes, 1:20.116 (137,81 km/h)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *