Stock: Asfalto pode dispensar troca de pneus em Ribeirão

Equipe de Xandinho Negrão trabalha com hipótese de fazer apenas reabastecimento

A equipe do piloto Xandinho Negrão vai avaliar a possibilidade de completar os 50 minutos da corrida deste domingo no novo circuito urbano de Ribeirão Preto com apenas um jogo de pneus. De acordo com o engenheiro Thiago Meneghel, as características da pista poderão abreviar o tempo de permanência na área dos boxes e facilitar o trabalho dos mecânicos durante a parada obrigatória para reabastecimento. “Além de o traçado ser de baixa velocidade, o asfalto novo vai reduzir o consumo dos pneus. Com isso, talvez dê para ir até o final sem a troca ou, no máximo, substituir apenas dois”, explicou o técnico da Equipe Medley.

Meneghel se debruçou sobre o desenho da pista do interior paulista e não encontrou nada muito diferente dos circuitos de rua já conhecidos. “É bastante travado e, aparentemente, sem ondulações. Mas só vamos saber com certeza no reconhecimento que faremos na quinta-feira. Como ainda não estamos seguros sobre o que encontraremos por lá, uma vez que tudo ainda é novidade, vamos esperar um pouco antes de finalizar o acerto dos carros”, disse Meneghel, um dos mais bem-sucedidos representantes da moderna geração de engenheiros da Stock Car e bicampeão nos últimos anos com Ricardo Maurício (2008) e Cacá Bueno (2009).

Ribeirão Preto será a segunda pista de rua do calendário. A de Salvador, que estreou na última temporada, será a próxima escala da Stock Car em meados de agosto. Meneghel acredita que boa parte da receita utilizada nas regulagens dos carros na capital baiana será válida neste fim de semana. “Elas têm similaridades. A principal diferença é o maior equilíbrio entre curvas para a direita e para a esquerda de Ribeirão preto. Em Salvador, a maioria é para a esquerda”, comparou.

A decisão sobre a estratégia da equipe, contudo, dependerá também da definição dos dados de consumo de pneus e combustível, dos tempos e do número de voltas da corrida. “Neste ano, só recebemos a confirmação do número de voltas nas tardes de sábado”, observou. Meneghel está convencido de que os treinos classificatórios e a tática de pit stop serão fundamentais na conquista de um bom resultado. “A pista é estreita e sem pontos de ultrapassagem. Não será fácil ganhar posições. Por isso, as chances na corrida passam pela posição de largada e pela escolha do momento certo para chamar o piloto aos boxes. Como o circuito é curtinho, com somente 2.270 metros, o risco de voltar no meio do tráfego não pode ser menosprezado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *