Stock: Cacá Bueno é punido e a decisão acontece em SP mais uma vez

A decisão da Stock Car embolou de vez. Pouco mais de duas horas depois da divulgação dos resultados da 11ª etapa, vencida neste domingo por Tarso Marques (Avallone/Terra), os comissários desportivos acataram o protesto apresentado por Giuliano Losacco (Medley) contra Cacá Bueno (RC Competições).


Depois de rever as cenas do choque entre ambos na última volta da prova, os comissários aplicaram 20 segundos de punição em Cacá, que caiu da 7ª para a 13ª colocação. Em outra decisão, a pena semelhante aplicada a Christian Fittipaldi foi desconsiderada e o piloto da Bassani Racing voltou ao 7º lugar. Com a nova classificação, a diferença entre os quatro primeiros colocados – Cacá Bueno, Hoover Orsi, Giuliano Losacco e Felipe Maluhy – é de apenas cinco pontos.

“Nunca bati em você. Hoje, você me bateu não uma, mas várias vezes”. Foram essas as palavras que Giuliano Losacco (Medley) dirigiu a Cacá Bueno (RC Competições) ainda no parque fechado de Jacarepaguá, pouco depois da vitória de Tarso Marques (Terra/Avallone) na 11ª e penúltima etapa da Stock Car. A irritação do bicampeão com o líder da temporada subiu as escadas da torre do autódromo. Losacco fez questão de se queixar diretamente aos diretores de prova sobre o comportamento do colega. Mais tarde, depois da oficialização dos resultados com um festival de exclusões e acréscimos de tempo que os deixavam respectivamente em 7º e 8º lugares, Losacco formalizou protesto contra Cacá junto à CBA.

O choque entre ambos foi o ponto de ebulição de uma prova quentíssima, marcada por diversos acidentes, escapadas de pista, discussões entre pilotos e três entradas do safety car. Ao receber a bandeirada de chegada imediatamente à frente de Losacco, Cacá garantiria mais um ponto de vantagem o bicampeão. “Fiz a curva com todo o cuidado para não tocar nele. De repente, ele começou a me bater. Primeiro, na traseira esquerda, depois na lateral inteira”, continuou.

Partindo apenas em 18º, Losacco ainda foi obrigado a parar o carro no grampo do novo traçado por causa de um múltiplo acidente. Depois, passou a maior parte da prova atrás de Rodrigo Sperafico (JF Racing), outro nome até então com chances matemáticas em relação ao título. “O carro dele estava muito rápido nas retas, onde ele abria facilmente de mim”, explicou. Já longe do autódromo, comemorou a novidade. “O campeonato está mais aberto do que nunca. Vamos com tudo em busca do tricampeonato”, prometeu.

Giuliano não foi o único piloto da Medley envolvido em incidentes neste domingo. Guto Negrão perdeu as chances de permanecer no páreo ao ser atingido por Luís Fernando Gama (Scuderia 111) no mesmo ponto que provocaria a polêmica entre Giuliano e Cacá. “Ele foi pouco inteligente. Tentou uma ultrapassagem impossível e ainda me bateu acelerando, tanto que acertou a traseira e depois a frente do carro”, relatou. Com uma prova para fechar a temporada, promete lutar até a última volta em São Paulo para subir na classificação final. “Foi num bom ano, mas podemos fechá-lo ainda melhor”, avisou.

Os companheiros de equipe coincidiram na avaliação negativa de pelo menos um ponto do traçado utilizado pela Stock Car. “Aquele grampo depois da curva do oval não comporta uma categoria com 40 carros. Todos sabiam que ia dar confusão”, criticou Guto. Losacco disse que a variante escolhida tem um desenho interessante, mas concordou com Guto a respeito do grampo. “Ali não tem sequer área de escape e não podia mesmo dar certo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *