Stock: Carrapatoso bate a 180 km/h em Tarumã

Piloto da equipe Katalogo Racing escapou na Curva 1, a mais rápida do circuito, mas nada sofreu e voltará aos treinos neste sábado.

Foi apenas um susto. Mas um susto que custou a ausência do paulista Ruben Carrapatoso no segundo treino livre para a décima etapa da Copa Nextel Stock Car. Na primeira sessão de testes realizada nesta sexta-feira no Autódromo de Tarumã (RS), o piloto da equipe Katalogo Racing escapou na Curva 1 e bateu na proteção de pneus a 180 km/h. No choque, toda a lateral esquerda de seu carro ficou destruída, o que impediu que Carrapatoso voltasse à pista no período da tarde para o último treino antes da sessão classificatória deste sábado.

Apesar da violência da batida, Rubinho nada sofreu e lamentou apenas a interrupção no trabalho de acerto de seu carro para a tomada de tempos de amanhã. “Estou bem e vamos conseguir consertar meu carro em tempo para que eu dispute a sessão classificatória”, declarou o piloto. “Só lamentei o fato de ter abandonado o treino mais cedo, e de não ter dado continuidade aos trabalhos de acerto do carro nesta sexta-feira. Venho de uma série de problemas e já há algumas corridas não tinha um carro tão bom nas mãos quanto tive nesta sexta”, acrescentou o piloto.

De acordo com os dados do sistema de telemetria instalado no carro de Carrapatoso, o piloto não cometeu nenhum grande erro que justificasse a saída de pista. Na opinião de Fernando Parra, chefe do time, o uso de um jogo de pneus de muitas voltas contribuiu para a escapada. “O Rubinho estava entre os 15 mais rápidos mesmo com um jogo de pneus bem velho, e o carro respondia bem. Optamos por deixá-lo um pouco mais na pista, mas na freada da Curva 1 ele acabou escapando. Como os pneus estavam bem desgastados, a aderência já não era a ideal e ele não teve como evitar a batida na barreira de proteção”, explicou Parra.

Apesar do acidente com Rubinho, a equipe Katalogo Racing teve um dia positivo em Tarumã. Alan Hellmeister fechou a primeira sessão do dia com o sétimo melhor tempo, e no treino seguinte ficou a apenas 0s6 da melhor volta, mesmo com o carro falhando em alguns trechos do circuito. “Começamos muito bem e acredito que possamos classificar nossos dois carros para essa corrida”, declarou Hellmeister. “Tive um pequeno problema de falhação no treino da tarde, que certamente teve alguma causa no sistema de alimentação, e se não fosse por isso eu certamente teria fechado o dia entre os dez mais rápidos. Isso é muito animador e me deixa confiante para a classificação de amanhã”, encerrou o piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *