Stock: Salustiano e Greipel trabalham no desenvolvimento do Astra Stock Car

Com a incrível competitividade da Stock Car, ninguém fica parado. Os pilotos cuidam de sua nutrição e preparação física em academias especializadas para resistir às altas temperaturas, e as equipes investem no aprimoramento das suspensões de seus carros em seus centros automotivos.

E os treinos livres de sexta-feira são utilizados para o desenvolvimento e checagem dinâmicos de tudo que foi feito no intervalo das corridas. Em Tarumã, no Rio Grande do Sul, a surpresa ficou com o paulista Nonô Figueiredo (Officer Pamplona’s Motorsport/Mitsubishi), o mais rápido com 1min06s858 (média de 162, 397 km/h), seguido do paranaense Enrique Bernoldi (Biosintética Action Power/Volkswagen), e do carioca Cacá Bueno (Eurofarma RC/Mitsubishi), atual líder da Copa Nextel, enquanto Figueiredo ficava apenas com a 20ª marca. A prova será disputada domingo, a partir das 10h55, com transmissão ao vivo da TV Globo.

“Hoje em dia é difícil pensar no domínio de um piloto ou equipe na Stock Car, a categoria está muito competitiva”, opinou o paulista Paulo Salustiano (Inpacom/Nicoboco/Sawary/RedeTV). “A tendência é a cada treino aparecer alguém como o mais rápido. Todo mundo está investindo e trabalhando”, emendou o catarinenses Mateus Greipel, também da equipe M4T/WAS Motorsport. No treino matutino, o atual campeão Cacá Bueno foi o mais rápido.

Com o intuito de se garantir entre as melhores equipes da temporada, o time apoiado por Inpacom/Nicoboco/Sawary/RedeTV investiu em novo pacote de amortecedores, agora da marca Ohlins, que estão estreando nesta décima etapa do campeonato. “O dia de hoje foi bem produtivo. Estamos entrando em um novo nível, num outro ritmo, para sermos mais competitivos”, analisou Greipel. “Aprendemos algumas coisas interessantes nos treinos de hoje, com a temperatura amena da manhã, com o extremo calor da tarde, e com situações de utilização de pneus bem gastos e compostos mais novos”, concordou Salustiano. “Foi a nossa primeira experiência com os novos amortecedores. Ainda não estou contente, mas acho que estamos no caminho certo. Temos ainda um longo caminho a percorrer”, encerrou Miguel Ferreira, chefe da equipe M4t/WAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *