Stock: Categoria terá mudanças no sistema de pit stop em Brasília

Categoria implementa novas regras para aumentar segurança de pilotos e mecânicos.

Neste fim de semana (2 e 3 de maio) o anel externo do Autódromo Nelson Piquet, em Brasília, recebe a terceira etapa da Copa Nextel Stock Car. O circuito com a maior média horária da temporada deve ter mais uma prova repleta de emoções, já que a diferença de tempo entre os carros é na casa dos centésimos de segundo. Mas a maior novidade estará novamente nos boxes.

Para aumentar a segurança de pilotos e, principalmente, dos mecânicos, a organização da categoria e a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) vão mudar mais uma vez o sistema de pit stops. Ao invés do limite de duas voltas para reabastecimento e duas para a troca de pneus, os carros terão quatro voltas de box aberto nas duas “janelas” abertas pela direção de prova. “Isso é para evitar tumulto nos boxes”, destaca Giovani Boettger, preparador dos carros de Alceu Feldmann (Arigaf) e Luciano Burti (Amanco).

Mais uma novidade: no final da tarde desta quinta (30), durante a reunião das equipes, haverá um sorteio para que boxes vizinhos não façam o pit stop na mesma volta. O objetivo é evitar que um carro “tranque” a saída do outro.

Outra mudança que será implementada nesta prova é que os mecânicos só poderão sair da garagem após a parada total do carro. Isso acontecerá tanto na primeira parada, para reabastecimento, quando na segunda, para troca obrigatória de pelo menos dois pneus.

Aliás, nesta pista, não há necessidade de trocar o jogo completo, segundo Boettger. “Como só existem quatro curvas para a direita, os pneus que mais sofrem são os do lado de fora do carro. Os oito segundos que perdemos para trocar os pneus ‘internos’ acabam não sendo recuperados na pista”, explica Giovani.

Alceu Feldmann elogiou as mudanças no sistema de pit stop: “tudo o que for feito visando a segurança de pilotos e mecânicos é bem-vindo. Manter o box aberto por quatro voltas – e não duas como aconteceu em São Paulo e Curitiba – diminui a probabilidade de confusões nos pits”, destaca o paranaense.

O tempo mínimo para o abastecimento será mantido. Após os treinos de sexta-feira, equipes e comissários da CBA definirão quantos segundos os carros terão que permanecer na área de box durante a primeira janela de pit stops. Na segunda parada, para troca de pneus, não será estipulado limite, ou seja, leva vantagem quem trabalhar mais rápido.

Os treinos oficiais que começam nesta sexta-feira visam a preparação dos carros para a tomada de tempos de sábado e também para a corrida de domingo. “São dois acertos totalmente diferentes, já que para a classificação o carro precisa ‘virar’ rápido apenas em quatro ou cinco voltas. Mas na corrida ser constante é fundamental. Por isso, o acerto precisa ser conservador, pois essa pista consome muito pneu”, adianta Feldmann.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *