Stock: Chuva pega pilotos e equipes de surpresa em Interlagos

Foi a primeira atividade do novo carro com pista molhada – o que exigiu ação rápida da equipe Dolly-Action Power.

Estava tudo pronto para o treino classificatório da primeira etapa da temporada da Stock Car quando a chuva resolveu aparecer em Interlagos. A pista molhada meia hora antes do horário marcado para o início da sessão deste sábado fez as equipes trabalharem muito rápido. Havia pouco tempo para alterar as configurações do carro para as novas condições do traçado – embora a direção de prova tenha postergado o treino classificatório para oferecer aos times uma curta sessão livre de reconhecimento.

A equipe Dolly-Action Power, que tinha nas mãos um acerto bem próximo do ideal para a pista seca, também conseguiu entrar no grupo dos primeiros colocados no asfalto molhado, com Marcos Gomes. O atual vice-campeão da categoria passou para o chamado Q2, que reúne os 16 mais rápidos da primeira sessão, e terminou o treino em oitavo lugar. Ele voltou a reclamar da falta de velocidade nas retas – mesmo depois de trocar o motor na véspera.

“Foi um treino difícil. O problema continua sendo o motor, infelizmente, mesmo depois da troca. Estamos perdendo entre 3 e 5 km/h nas retas. Vamos analisar se é o caso de trocar novamente”, lamentou. “De qualquer forma, a posição de largada é boa e se conseguirmos solucionar essa questão as chances de brigar pelo pódio existem”, disse. Na primeira experiência sob chuva com o novo carro, ele destacou um ponto que costumava receber críticas até o ano passado. “A visibilidade melhorou muito”.

Ao lado de Marcos Gomes na quarta fila, em 7º, estará Antonio Pizzonia. O grupo dos seis primeiros será formado por Paulo Salustiano, o pole, Thiago Camilo, Daniel Serra, Ricardo Maurício, Luciano Burti e Claudio Capparelli. Pedro Gomes, também da Dolly-Action Power, também trocou o motor e tinha esperanças de entrar neste grupo, mas a quebra do eixo cardan durante a primeira sessão classificatória impediu que ele fosse além do 25º lugar.

“O carro melhorou um pouco com a troca do motor, então foi uma pena o que aconteceu”, contou Pedro Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *