Stock: Confederação Brasileira esconde doping de ex-piloto de F-1 na Stock Car

Tarso Marques foi pego no fim de 2009 e punido com suspensão de dois anos

Piloto da Minardi em 1996, 1997 e 2001, o paranaense Tarso Marques foi pego em exame antidoping na última corrida da temporada de 2009 da Stock Car, realizado no autódromo de Interlagos. Porém, de acordo com a revista Warm Up, a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) escondeu o resultado positivo, sob a alegação que isso seria responsabilidade do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da entidade, que, por sua vez, diz não ter divulgado a informação porque sua página na Internet não está funcionando.

A substância continua sem ser revelada, mas o piloto se viu punido com o afastamento de suas atividades por dois anos. Ele alega que está tentando recurso, mas o STJD nega qualquer pedido do tipo. Segundo Tarso, o doping foi decorrente de uma medicação “por causa de problema de saúde”.

– Um componente desta medicação é considerado proibido na rigorosa e extensa lista de substâncias que a Wada (sigla em inglês para Agência Mundial Antidoping) publica como elenco dopante, o que eu desconhecia. Esclareço que muitas substâncias que integram esta lista não trazem qualquer prejuízo à pilotagem de automóveis, fato reconhecido pelas autoridades.

Responsável pelo projeto antidopagem e coordenador médico da Stock Car, Dino Altmann afirma que, por à época o automobilismo não estar vinculado à Wada, a veiculação não seria obrigatória. Entretanto, o regulamento dos procedimentos que devem ser adotados nos exames antidopings, publicado no site da CBA, diz que em seu artigo 13.2 que a divulgação deveria ser feita.

Fonte: R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *