Stock: confira uma análise técnica de Interlagos

Templo do automobilismo brasileiro recebe encerramento da temporada 2009.

O circo da Stock Car vai pela terceira vez ao melhor autódromo do Brasil para a festa de encerramento da temporada 2009. O circuito de Interlagos será o palco da celebração do tricampeonato de Cacá Bueno na Copa Nextel e do título de Júlio Campos na Pick-up Racing, além de definir o campeão e realizar a última prova da história da Copa Vicar e da Stock Jr, que deixarão de existir em 2010.

Antes das festas, os pilotos terão de encarar o seletivo e desafiador traçado de 4.309 metros, que recebe anualmente o GP do Brasil de F-1. A pista é apenas um rascunho do histórico traçado original de 7km, mas, mesmo encurtado, mantém as principais características, como a mistura de curvas de altas e baixa, retas curtas, longas, subidas e descidas. Sem contar a infra-estrutura, que é a melhor do país.

Confira uma análise técnica do circuito paulista, localizado na Zona Sul de São Paulo, por três pilotos que farão parte da grande festa deste fim de semana: Rodrigo Navarro (Grupo Qualicorp), Thiago Riberi (Colonial Racing/ Del Rey Transportes/ Gráfica Progresso/ Cantina Diffatto) e Cadu Pasetti (Xandô/Sundown), todos da equipe Gramacho Stedile (Tozan/Irapuru Transportes).

Geral
“Interlagos em teoria por ser a casa da maioria dos pilotos iguala um pouco os tempos de volta. O acerto do carro tem muita variação de um dia para o outro devido a quantidade de borracha acumulada na pista por outras categorias como a Copa Nextel e a Copa Vicar. O trabalho de sexta-feira deve ser na chuva conforme a previsão, o que dificulta um pouco as coisas pra gente, uma vez que nosso qualifying é de apenas duas voltas. Caso não consigamos andar no seco na sexta, levará a melhor no grid quem der o melhor chute de acerto. A nossa equipe sempre andou bem aqui, por isso devemos ter uma vantagem em condições adversas como essa. A pista é tecnica, exige potência e muito dos freios qualquer erro em Interlagos representa uma perda muito grande de tempo devido as longas retas”. (Cadu Pasetti)

Traçado
“Interlagos apresenta curvas de alta velocidade bem longas e um miolo com curvas muito próximas e de baixa velocidade, com isso temos que ter um equilíbrio no acerto do carro para que ele tenha uma performance satisfatória nessas duas situações bem distintas”. (Thiago Riberi)

Freios
“Por ter retas longas, as freadas são fortes. Com isso temos que dar uma atenção maior para o balanço de freio para não ocorrer travamento de roda.” (Rodrigo Navarro).

Pneus
“Com o asfalto novo de Interlagos, os pneus não vão sofrer tanto desgaste, mas por ter freadas fortes nos finais de retas temos que nos preocupar com o balanço de freio para poder freiar o mais próximos das curvas sem ocorrer o travamento de roda e, por consequência, o desgaste prematuro dos pneus.” (Thiago Riberi)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *