Stock: David Muffato larga em décimo na inauguração do Velopark

Piloto paranaense garantiu lugar entre os dez primeiros no grid e busca os primeiros pontos para a Itaipava Racing Team.

David Muffato conseguiu neste sábado (1) sua melhor posição de largada na atual temporada da Stock Car. Vai largar em décimo na terceira etapa do campeonato, marcada para domingo (2), às 11h00, no Velopark, em Nova Santa Rita (RS). “Evoluímos bastante para a tomada de tempo. A minha meta hoje, quando vi o carro, era passar para o Q2 (segunda e penúltima parte do treino classificatório, que reúne os 16 melhores do Q1), queria largar entre os dez primeiros e fiquei em décimo”, contou David Muffato. O resultado premiou a dedicação do piloto da Itaipava Racing Team.

Na quinta-feira (29), ele treinou com dificuldades e andou pouco em função de um mal estar. “O mais importante foi a troca de informações dentro da equipe, os dados que eu tinha do (Luciano) Burti, que andou mais, vários detalhes que me ajudaram bastante, principalmente o que o Elio (Seikel, engenheiro de David Muffato) me passava”, disse o campeão da temporada de 2003 da Stock Car. A pole position ficou com Valdeno Brito. David Muffato ficou menos de um décimo distante de entrar no Q3. “Estou bem contente”, acrescentou David Muffato.

“Nós fizemos até um teste para sentir um detalhe para a corrida e funcionou bem. Vamos lá, vamos com calma para ver se amanhã conseguimos os primeiros pontos para a equipe no campeonato. Claro que largando entre os dez primeiros as minhas chances são maiores do que nas duas primeiras corridas do ano. O mais importante é ser cuidadoso na largada, que aqui vai ser muito difícil, com uma freada muito forte”, concluiu o piloto da Itaipava Racing Team. Se deu tudo certo para ele, nada ocorreu como o planejado para Luciano Burti – que havia terminado entre os cinco mais rápidos na véspera.

Ele foi surpreendido por uma série de acontecimentos no treino classificatório e vai ocupar o 23º lugar no grid de largada. “É frustrante demais porque fomos competitivos o tempo todo aqui, com pneus velhos, com pneus novos, com pista úmida pela manhã, com pista seca…”, disse Luciano Burti. “Começou a classificação, a pista mudou bastante, mas daria para fazer um tempo razoável. Aí voou uma parte do teto do carro (a tampa da escotilha para retirada rápida do piloto em caso de acidentes) e aquilo tem efeito aerodinâmico”, lamentou Luciano Burti.

“No que voou, parecia até que eu tinha um pneu furado”. O problema atrapalhou os planos de todas as formas: primeiro, porque tomou tempo de pista de Luciano Burti para ser reparado e, depois, porque impediu que ele completasse suas voltas rápidas naquele que seria supostamente o melhor momento dos pneus.”O carro ficou completamente desequilibrado, parei para recolocar, mas aí demora. Quando sai de novo, vinha outra volta com tempo razoável, para ir para o Q2 pelo menos, e deu uma bandeira vermelha”, contou Luciano Burti.

O treino foi interrompido faltando pouco mais de um minuto para o fim em função de um acidente de Lico Kaesemodel. Quando a pista foi liberada, foi possível completar apenas mais uma volta rápida. “No final foi difícil, porque não dava tempo de aquecer os pneus. Uma pena, largar atrás aqui é muito ruim”, concluiu Luciano Burti. A prova deste domingo marca a inauguração do Velopark, o quarto autódromo do Rio Grande do Sul, número recorde no Brasil. A liderança do campeonato da Stock Car é de Max Wilson, seguido por Nonô Figueiredo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *