Stock: Dormindo com dúvida em Campo Grande

Vigésimo-terceiro e vigésimo-sétimo em uma tela de cronometragem não inspiram ninguém a soltar fogos de artifício, mas, no caso da Red Bull Racing na Copa Nextel Stock Car, também não são motivo de (tanta) preocupação.

Daniel Serra e Hoover Orsi viveram um dia de complicações na abertura dos treinos para o GP de Campo Grande, terceira etapa da Stock Car em 2007. Os dois Volkswagen Bora enfrentaram problemas de câmbio nessa sexta-feira, e, após Hoover ser décimo e Serrinha 35º no treino da manhã, tiveram de se conformar com a 25ª e 22ª marcas no treino da tarde. No geral, Serrinha acabou na posição 23, com Hoover quatro lugares mais atrás. Graças a uma volta em 1:29.071, Thiago Camilo, da Texaco/Vogel, foi o líder dos treinos de hoje.

“Só dei duas voltas à tarde com o câmbio ‘100%’, depois a primeira marcha parou de funcionar e isso me custou bastante tempo, já que aqui usamos primeira para contornar o hairpin”, explicou o “anfitrião” Hoover, nascido em e habitante de Campo Grande, cuja volta mais rápida ficou em 1:30.604. “Além disso estamos com os mesmos pneus ‘problemáticos’ de Curitiba, então ficou um pouco complicado virar uma volta competitiva hoje”.

Já Serrinha brigou o dia inteiro com problemas no “power shift”, mecanismo que permite a troca de marchas sem interrupção da aceleração por parte do piloto. O defeito deixou o Bora #29 significativamente mais lento, principalmente nas retas.

“Poderíamos estar um pouco mais para a frente, mas a verdade é que não tive um bom dia”, revelou o vice-líder do campeonato, que teve a marca de 1:30.550 como sua melhor. “Além do defeito no power shift deixar nossas trocas de marcha mais lentas, o sistema também atrapalhava funcionando sozinho no meio da reta. Espero ter um dia sem problemas amanhã, mas mesmo assim vai ser difícil recuperar toda a desvantagem que temos para os líderes no momento”.

Aparentemente, se as dificuldades técnicas não voltarem amanhã, Serrinha e Hoover podem buscar um lugar entre os dez que disputam a pole na Super Classificação. O único porém é que “se” não entra na pista, seja na Stock ou em qualquer outra categoria do automobilismo – eis a questão que atrapalhará o sono do chefe de equipe Amir Nasr.

“Já prevíamos que o Hoover não seria muito rápido hoje em função de usarmos os pneus de Curitiba, que complicaram nossa vida por lá, mas os problemas no câmbio dificultaram ainda mais a nossa vida”, relatou Amir. “A mesma coisa no caso do Serrinha, já que o defeito no power shift roubou muito tempo que poderíamos ter gasto desenvolvendo o acerto do carro. O importante, porém, é que os dois carros parecem estar equilibrados”.

“Em tese, sabemos que, se amanhã não tivermos mais problemas mecânicos, seremos competitivos quando colocarmos pneus novos. O problema é ter de dormir com a dúvida…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *