Stock: Salustiano partirá para a classificação com aposta no acerto

Sem mais treinos livres, o paulista fará mudanças no carro e só conhecerá os resultados durante a classificação.

Encerrados os treinos livres da Stock Car V8 nesta sexta-feira (01/6), no Autódromo de Campo Grande (MS), pilotos e equipes agora pensam na classificação do sábado (02/6) e em ajustes que poderão colocá-los em uma posição melhor no grid do que o apresentado nos ensaios. Paulo Salustiano (Inpacom/ Nicoboco/ Sawary/ RedeTV), que fez o 24° tempo da sessão final entre os 48 carros na pista, também tentará as alterações no acerto, e só conhecerá o resultado na própria classificação. “Amanhã (sábado) vamos direto para a tomada de tempos. Então, as mudanças que fizermos no carro não serão testadas antes de irmos para a briga por uma vaga no grid”, assinalou o piloto da M4T/WAS.

Salustiano afirma que a pista de 3.433 metros do Mato Grosso do Sul apresenta muita sujeira fora do traçado, pelo fato de ficar em uma região descampada e sujeita a ventos constantes, e por ser pouco utilizado durante o ano, o que dificulta o equilíbrio dos carros, que tendem a sair de frente nas curvas. “Como tem sido uma constante neste ano, os tempos estão próximos e cada detalhe pode valer algumas posições na folha de tempos. O nosso problema é que o carro está muito dianteiro, o que é ‘mortal’ aqui nesta pista, pois no miolo se ele escorregar a frente um pouco e colocar uma roda na poeira acumulada fora do traçado, você pode rodar e perder a volta toda. Pior, se for para a poeira ela gruda no pneu e aí até limpar demora um pouco e seu ritmo de corrida já era”, analisou o vice-campeão da Stock Light em 2005.

A solução, como não poderia ser diferente, é o esforço junto ao time para reverter a situação. “Nós vamos trabalhar bastante para melhorar este acerto, eliminar este problema. Mas o lado mais negativo dessa história é que amanhã vamos direto para a tomada de tempos. Será algo feito meio no escuro, mas não tem jeito, pois não haverá mais um treino. Talvez a organização devesse colocar um pequeno treino, uma espécie de warm-up, antes da tomada. Nenhuma equipe, por melhor que seja, consegue prever 100% se suas alterações no carro vão funcionar”, opinou o representante de Inpacom, Nicoboco, Sawary e RedeTV, que terminou a prática livre bem acompanhado, logo atrás do consagrado Ingo Hoffmann e à frente do piloto da casa Hoover Orsi.

A título comparativo, Salú cita a categoria máxima do automobilismo e seu método de práticas para acerto do carro. “Até mesmo na Fórmula 1 eles só validam novidades do acerto e as modificações técnicas no carro fazendo treinos. E olha que eles têm recursos como túneis de vento e programas de simulação computadorizada, equipamentos caríssimos. Mesmo assim, é a prática, a experiência na pista, que diz se a modificação foi válida ou não”, finalizou Paulo Salustiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *