Stock: Dupla da Medley/A. Matheis anda forte, mas está fora da disputa do título

Parceiros na última fila do grid, Maurício e o companheiro de equipe Marcos Gomes fizeram uma prova eletrizante. Andaram juntos praticamente as 44 voltas e realizaram grande número de ultrapassagens.

“Foi muito cansativo. Se eu tivesse saído na frente, como seria o normal, certamente terminaria bem. Tinha consciência que o campeonato estava acabado depois do problema no treino classificatório, mas ainda faltam duas corridas. Vamos tentar ganhá-las e fechar o campeonato da melhor maneira possível”, comentou Maurício, que pleiteou junto à direção de prova o 15º lugar, já que cruzou a linha de chegada junto com Daniel Serra (Red Bull) e originalmente a crononetragem deu a ele a vantagem mínima de um milésimo de segundo, antes de reformar o resultado final.

Marcos Gomes voltou para os boxes empapado de suor e também acusando os efeitos dos mais de 30 graus de temperatura ambiente. “Minha garrafinha de água estourou”, explicou. Segundo ele, o maior problema – além da posição de largada comprometida pela punição – foi o pequeno número de abandonos. “Contávamos com algumas bandeiras vermelhas para encostar no grupo da frente e ganhar posições, mas não houve uma única neutralização da corrida”, lamentou. “Em condições normais, daria para chegar entre os cinco primeiros. Agora, só me resta brigar para me despedir da temporada como melhor estreante.” Punido com uma passagem pelos boxes por um choque de corrida, Guto Negrão (Vivanz 307 Racing) chegou em 25º.

Agora, apenas os quatro primeiros continuam no páreo. Já no próximo dia 18 de novembro, no Rio de Janeiro, a partir do quinto colocado Ingo Hoffmann (AMG), os demais integrantes dos playoffs brigarão no máximo pelo vice-campeonato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *