Stock: Em prova complicada, Maluhy não pontua e Tarso perde a porta em Londrina

A 5ª etapa da Copa Nextel Stock Car disputada neste domingo (dia 29) no autódromo internacional Ayrton Senna, em Londrina (PR), não vai deixar boas lembranças para os pilotos da equipe Terra Racing. Felipe Maluhy completou a prova em 16º lugar e Tarso Marques abandonou após levar um toque do novato Alan Hellmeister, que também atrapalhou Maluhy durante a corrida.

A vitória ficou com o paulista Thiago Camilo, da equipe Texaco / Vogel, que partiu da pole position e ampliou sua vantagem na liderança do campeonato, agora com 77 pontos. O resultado também mantém o tabu na pista londrinense. Desde que foi inaugurada, em 1992, nenhum piloto do Paraná venceu a etapa na Stock Car.

O paraibano Valdeno Brito, em segundo, e o paulista Ricardo Maurício, em terceiro, completaram o pódio deste domingo. Com a vitória de Camilo, a temporada 2007 mantém-se bastante equilibrada. Ele é o quinto vencedor diferente em cinco provas deste ano.

Apesar de não ter marcado pontos, Maluhy manteve-se em oitavo no campeonato, com 34 pontos. O piloto, no entanto, lamentou a atitude de Hellmeister, que poderia tê-lo deixado de fora da corrida logo na primeira volta.

“Fiz uma largada cautelosa e perdi uma posição. Logo na primeira volta, o Hellmeister colocou o carro dele pela grama, completamente descontrolado e, se eu não tivesse saído do traçado para evitar uma batida, já teria ficado de fora logo no início da prova. Uma coisa é você aceitar uma ultrapassagem, outra bem diferente é ter de parar de fazer a sua corrida e sair do traçado para um piloto não te acertar”, comentou Maluhy. “Em seguida, ele repetiu a mesma manobra com o Tarso, no mesmo lugar e arruinou a corrida dele”, continuou o paulista.

Mais calmo, o piloto analisou o resultado final. “O importante é que conseguimos manter a posição no campeonato, depois de uma corrida muito ruim. Mas não queria deixar de ressaltar a falta de profissionalismo de alguns pilotos”, destacou.

Tarso Marques também ficou furioso com o abandono prematuro. O piloto levou o toque de Hellmeister e acabou perdendo a porta esquerda. Ele chegou a parar nos boxes para tentar troca-la e voltar, mas o carro já estava totalmente desalinhado.

“O Hellmeister e o (David) Muffato me acertaram de propósito. Ele (Hellmeister) é um menino, que ainda não teve resultados expressivos, chegou na metade do campeonato e está pilotando dessa forma. Em São Paulo, eu já havia deixado ele passar e mesmo assim ele me bateu. Assim é fácil conseguir ultrapassar, mas é uma atitude suja”, lamentou o paranaense que tem uma vitória em 2007 e está em 12º no campeonato, com 25 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *