Stock: Equipe Medley desiste de recurso junto ao STJD

Punidos, Marcos Gomes e Ricardo Maurício fecham o grid em Tarumã.

A Equipe Medley desistiu de recorrer junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Automobilismo da punição aplicada a Marcos Gomes e Ricardo Maurício durante a tomada classificatória da 10ª etapa da Stock Car, segunda dos playoffs finais. Por descuido de um mecânico, os pneus traseiros esquerdos traseiros foram montados de forma invertida nos carros. Como determina o regulamento, a irregularidade custou a exclusão de ambos do restante da classificação e ainda da superclassificação – Gomes tinha sido o 4º mais rápido e Maurício, o 7º. Depois do indeferimento do recurso pedindo a instalação de Gomes e Maurício na 11ª e 12ª colocações do grid, a Equipe Medley resolveu aceitar a punição que colocará seus pilotos em 37º e 38º na largada da prova deste domingo em Tarumã (RS).

Na argumentação apresentada aos comissários desportivos, o diretor-técnico da Equipe Medley, Andreas Mattheis, reconheceu o erro, mas lembrou que o espírito do artigo 36 do regulamento desportivo não havia sido ferido. “Foi uma falha inaceitável, mas não houve qualquer vantagem para um ou outro piloto, já que os dois estavam com quatro pneus novos, e muito menos para os adversários. Reconhecemos o nosso erro e sabemos que os comissários apenas aplicaram o regulamento, mas a punição foi muito severa. Talvez a exclusão das melhores voltas com aquele jogo de pneus fosse mais justa, sem prejuízo do segundo jogo que nossos pilotos sequer puderam usar”, comentou.

O episódio caiu como uma ducha de água gelada nos boxes da Equipe Medley. Gomes e Maurício haviam garantido a presença na superclassificação até com certa facilidade e tinham todas as condições de brigar pela pole. “Conseguimos melhorar os carros para a configuração de classificação e nossas chances eram boas”, lamentou Mattheis, que já começou a trabalhar na mudança das regulagens para uma corrida que tem tudo para ser uma das mais exigentes para o equipamento do calendário. “Fizemos a pole e ganhamos com o Giuliano Losacco no ano passado, mas os tempos de volta no final da prova subiram demais por causa do desgaste principalmente dos pneus”, explicou.

Maiores vítimas do episódio, Marcos Gomes e Ricardo Maurício procuraram manter o moral elevado para uma prova em que as chances de um bom resultado foram dramaticamente reduzidas. “Foi uma pena, porque eu ainda tinha uma sobra de pelo menos dois décimos com o primeiro jogo de pneus”, informou Gomes, sétimo colocado nos playoffs. Maurício disse que vai torcer pela chegada prematura de uma chuva prevista apenas para a tarde pelos serviços de meteorologia. “Nesta altura, é o que melhor poderia acontecer para a gente”, afirmou o terceiro colocado no campeonato, que aproveitou o aguaceiro de verão que despencou logo depois da superclassificação para treinar no asfalto molhado com o carro de dois lugares da Medley.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *