Stock: Excesso de poeira ainda traz preocupação

Chefe da equipe Neosoro JF Racing alerta para o

problema, característico do circuito de Campo Grande.


O adversário mais temido pelos pilotos da Stock Car em Campo Grande (MS) nem aparece na lista de inscritos. É discreto e passa quase despercebido, mas quando surge costuma fazer estragos. A categoria chega à capital sul-mato-grossense para a terceira etapa da temporada, que será disputada domingo (21), às 10h00 no horário local, temendo os problemas que podem ser causados pela poeira característica do circuito, que fica numa região descampada. Apesar da instalação de um filtro especial nos motores, em 2004, o eterno oponente permanece como uma ameaça.

           
“O novo filtro e as obras de jardinagem no autódromo melhoraram a situação, mas tudo depende da noite que antecede a corrida. Se ventar demais, a pista enche de poeira e muda completamente, trazendo problemas para diversos componentes do carro e até para os pilotos, que perdem as referências do dia anterior”, alerta Jorge de Freitas, chefe da equipe Neosoro JF Racing, dos pilotos Ruben Fontes e Rodrigo Sperafico. “Com o traçado sujo, o carro fica bastante instável e as condições mudam a cada volta. O piloto precisa estar muito atento para não cometer nenhum erro”, comenta o goiano Ruben Fontes, que nesta semana estréia seu site na internet, no endereço
www.rubenfontes.com.br.


           
Para escapar das armadilhas do circuito de Campo Grande, a dupla da Neosoro JF Racing aposta na experiência de Jorge de Freitas. Ruben Fontes fará sua estréia na pista e Rodrigo Sperafico competiu apenas uma vez no autódromo sul-mato-grossense, em 2004, quando ainda dava seus primeiros passos na Stock Car. “Acredito que isso não chega a ser um problema. São pilotos muito experientes e precisam de apenas algumas voltas para desvendar os segredos de um traçado. Se conseguirmos manter nosso bom rendimento em Campo Grande, eles têm tudo para andar na frente outra vez”, analisa Jorge de Freitas.


           
Outros bons pilotos, como Luciano Burti e Christian Fittipaldi, também não conhecem a pista, inaugurada em 2001. “Apesar de ainda não ter andado no circuito, meu objetivo é começar bem os treinos livres e tentar progredir cada vez mais até o início dos classificatórios. Nosso potencial é muito bom e quero sair de Campo Grande ocupando um lugar entre os dez primeiros no campeonato”, comenta Ruben Fontes, pensando no playoff, que vai reunir os dez melhores do ano para a disputa do título nas últimas quatro provas. Seu companheiro, Rodrigo Sperafico, busca permanecer neste grupo.


           
O paranaense, oitavo na tabela de pontuação, abriu a temporada com um terceiro lugar em Interlagos, mas abandonou com problemas de câmbio em Curitiba. “Perdemos pontos importantes na etapa anterior. É fundamental conquistar um bom resultado em Campo Grande. Já mostramos que temos condições de brigar pela vitória, agora é hora de transformar todo esse potencial em resultados constantes e concretos. Assim, vamos atingir com tranqüilidade nosso objetivo de chegar ao playoff” comenta o piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *