Stock Jr.: Em Londrina, Cássio fica em 7º e mantém vice-liderança

Problemas com o carro impedem a conquista de um melhor resultado. Mesmo assim, piloto se diz satisfeito com o seu desempenho.

No último domingo (29), o piloto da categoria Pró, Cássio Homem de Mello (Terra/LoJack/Iguaçu/ICEC/Corsa/GFS/Instituto Vita Care/OGIO, N7 Comunicação) disputou, no autódromo internacional Ayrton Senna, em Londrina (PR), a 5ª etapa da Stock Jr. Mesmo enfrentando dificuldades com o carro, o paulista assegurou o 7º lugar e manteve-se firme na vice-liderança do campeonato, com 96 pontos – três a menos que o líder, Thiago Riberi.

Os problemas já começaram a ser percebidos nos treinos livres e o carro só foi arrumado após a sessão classificatória. “Meus mecânicos descobriram que o triângulo e o batente estavam tortos. Além disso, este último também estava pegando no escapamento. Com isso, acabei largando em sétimo na corrida”, explicou Cássio.

No domingo (29), o carro estava melhor. Após largar bem, o piloto fez ultrapassagens, mas, quando já figurava na 4ª colocação, o rendimento do motor caiu drasticamente. “O giro parou de subir na 4ª marcha, a direção ficou pesada e o pedal do freio muito duro. Caí para 14º e só estava na pista para completar a porcentagem mínima para pontuar. De repente, duas voltas depois do safety car, o motor ‘reacendeu’ e comecei a recuperar posições. Na última volta estava em 7º, atrás do Riberi, e quando fui completar a ultrapassagem, o motor falhou novamente”, disse.

E completou: “Acreditamos que o problema não foi com o motor, mas sim com o freio. É possível que ele tenha sido acionado sozinho, como se eu estivesse andando com o freio de mão puxado. Essa semana o pessoal da ZF fará a revisão do carro, e só então saberemos o que realmente aconteceu. Eu estarei lá para acompanhar”, afirmou Cássio.

Apesar dos imprevistos, o paulista se diz satisfeito com o seu desempenho. “Fiz um bom trabalho na corrida, estava rápido, constante, e não cometi erros. Infelizmente, o automobilismo é assim, dependemos muito de outros fatores que fogem do nosso controle. Mas, saio de Londrina consciente de que dei o melhor de mim e estou orgulhoso do meu desempenho”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *