Stock Jr.: Seletiva de Kanaan dará o maior prêmio individual já pago a pilotos de kart no Brasil

Vencedor da disputa que será realizada nos dias 21 e 22 de fevereiro vai ganhar o equivalente a R$ 96 mil. Valor só é menor que o oferecido pela Seletiva Petrobras, que ao longo do ano distribui R$ 113 mil a pilotos de diversas categorias.


A iniciativa do campeão da IRL, Tony Kanann, de escolher um piloto de kart promissor e facilitar seu ingresso no automobilismo através da recém-criada Stock Car Júnior chega ao cenário do kartismo nacional com autoridade. Idealizada no fim do ano passado pelo piloto baiano – que foi um dos maiores kartistas brasileiros do fim da década de 1980 e início dos anos 1990 – a seletiva oferecerá um prêmio equivalente a R$ 96 mil ao campeão, que cobrirão todos os custos de participação nas 12 provas do campeonato brasileiro da nova categoria.

Este é o maior prêmio individual já oferecido a kartistas no Brasil, e em valores absolutos fica atrás apenas do total distribuído ao longo do ano aos destaques da Seletiva Petrobras de Kart, que chega a R$ 113 mil. “Essa é uma ótima oportunidade para jovens que, como eu, estão saindo do kart e sabem quanto é difícil ingressar em uma categoria do automobilismo. É uma chance única e um grande incentivo que o Tony está dando ao esporte brasileiro”, disse o paulista Mario Romancini, um dos oito pilotos selecionados para a final.

O campeão da seletiva promovida por Kanaan será conhecido na próxima quarta-feira (22), após dois dias de testes no autódromo particular do empresário Alcidez Diniz, em sua fazenda localizada no município de Indaiatuba (SP). Além do desempenho na pista, serão observados também os seguintes critérios: atuação com futuros patrocinadores e a receptividade com a imprensa.

“Creio que o objetivo seja o de avaliar o piloto de uma forma mais abrangente, já que o evento Stock Car hoje atrai a atenção de grandes empresas e também gera muita mídia espontânea”, analisa Romancini. “Espero me destacar entre os oito pilotos previamente selecionados e quero muito ficar com esse prêmio. É uma chance de ouro que pode fazer decolar minha carreira como piloto profissional”, completou ele, que foi um dos destaques brasileiros no Campeonato Mundial de Kart em 2004 e é bicampeão da Copa Petrobras.

Os moldes de avaliação da seletiva de Kanaan diferem bastante dos empregados na Seletiva Petrobras de Kart, mas se assemelham muito com os de um outro projeto, que foi pioneiro no país. Em setembro de 1997, uma promoção conjunta entre Elf e a Renault causou furor entre os kartistas da época. Escolhidos pelo currículo e avaliados em diversos quesitos – entre eles o de relacionamento com a imprensa –, 40 pilotos se enfrentaram durante uma semana no Kartódromo da Granja Viana em busca de um prêmio que jamais havia sido dado a um piloto da modalidade no país: uma temporada completa em uma categoria internacional. O Campeonato em questão era o da Fórmula Campus, e o prêmio, faturado pelo paulista Julio Caio Fachim, foi de cerca de R$ 55 mil.

O projeto chamado de La Filiere foi criado pelo subsidiária brasileira da petrolífera para cumprir uma exigência de curto prazo da matriz francesa e por isso, apesar do sucesso, durou apenas um ano. Mas apresentou aos pilotos brasileiros uma fórmula que, após significativas alterações, foi concretizada com sucesso ainda maior pela Petrobras, que através de sua Seletiva de Kart já distribuiu mais de meio milhão de Reais a jovens pilotos e até hoje detém a maior premiação dada ao kartismo nacional. Anualmente, dos R$ 113 mil distribuídos aos pilotos, R$ 70 mil são destinados ao campeão da Graduados A.

“Individualmente, a seletiva organizada pelo Tony Kanaan oferece o maior prêmio, mas o projeto da Petrobras dura o ano todo e premia um número maior de pilotos”, argumenta Romancini, que já recebeu alguns cheques do projeto da estatal brasileira por ter conquistado o bicampeonato da Copa Sorriso Campeão, que nasceu a partir da Seletiva de Kart e ganhou espaço por ter cunho social. Através deste campeonato, mecânicos e seus familiares recebem tratamento odontológico gratuito pelo período de um ano. “São propostas diferentes e acho que ambas tem seu espaço porque o propósito de contribuir para o esporte é o mesmo. Estou muito satisfeito e orgulhoso por estar entre os selecionados para a fase final de ambas, e espero que o prêmio que me escapou em dezembro possa vir desta vez”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *