Stock Light: Coadjuvantes em Brasília, líderes da Light guardam forças para etapas finais

Assim como na Copa Nextel, a corrida do Campeonato Brasileiro de Stock Car Light, disputada no último domingo em Brasília, foi bastante movimentada. Mas ao invés das mudanças constantes na liderança da prova, as grandes disputas na categoria de acesso aconteceram nas posições intermediárias. E no “meio do bolo” estavam o líder da temporada, Norberto Gresse Filho, e o vice, André Bragantini (Eurofarma / Sascar).

Depois de superar o pole position, Gustavo Sondermann, Luiz Carreira Júnior abriu vantagem na liderança até cruzar a linha de chegada em primeiro, numa corrida até certo ponto tranqüila. Sondermann e Alexandre Cunha completaram o pódio na Capital Federal.

As atenções, no entanto, estavam voltadas para Gresse e Bragantini, que, ao lado de Sondermann, fazem uma espécie de “mini-playoff”. No início da prova a estratégia da maioria dos pilotos era preservar equipamento. “De manhã, todos viram os carros se deteriorarem na pista na corrida da Copa Nextel. Por isso, resolvemos adotar uma tática mais conservadora”, relembra Bragantini.

No sábado, ele enfrentou problemas com um lote ruim de pneus e ficou com o nono lugar no grid. “Para a corrida usamos outro pneu e o carro rendeu bem até eu ficar sem freio na metade da prova, quando já estava na cola do Betinho (Gresse)”, lamenta o piloto, que a partir daí não pôde mais disputar freadas com os adversários.

Mesmo assim, conseguiu o oitavo lugar na etapa, depois de duelar com seu oponente direto pelo título e também com Vicente Siciliano, Thiago Gonçalves, Rafael Sperafico e Elias Nascimento Júnior. Contando os dois descartes previstos pelo regulamento, a vantagem de Gresse sobre Bragantini é de quatro pontos, faltando duas corridas para o término da temporada: Rio de Janeiro (18 de novembro) e São Paulo (9 de dezembro).

Quem também enfrentou problemas em Brasília foi o companheiro de equipe de Bragantini, Ariel Barranco (Farmalife). O paranaense foi 14º colocado na prova e caiu da quarta para a quinta colocação no Campeonato, atrás de Alexandre Cunha.

Mesmo assim, ajudou a manter a RR Nova na primeira colocação entre as equipes. “Foi mais um final de semana para esquecer, com muita dificuldade para acertar o carro. Mas agora vamos para Jacarepaguá confiantes, pois é a casa do nosso time. O Jorginho Freitas (chefe de equipe) conhece muito bem esta pista. Além disso, teremos pela frente dois meses de preparação”, argumenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *