Stock Light: TG Competições está competitiva e aguarda ansiosa pela próxima etapa

A TG Competições/Start Química, com sede em São Paulo, quer virar o jogo na próxima etapa, pois a segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Car V8 Light foi complicada para a equipe. A corrida aconteceu no Autódromo Internacional de Curitiba, neste domingo (6) e teve largada às 12h35, o piloto Tiago Gonçalves largou em terceiro na segunda fila do grid e Filipe Nogueira, não fez tempo no treino classificatório por quebra de peça da suspensão traseira e largou na última fila.

Tudo estava bem até a primeira curva da prova com os dois carros perfeitos para a corrida. Filipe Nogueira faz uma bela largada, ultrapassa por fora nove carros e quando pensou que estava livre das batidas e sem tempo de defesa foi atingido por dois carros que estavam envolvidos em um acidente. Os toques fortes na lateral dianteira e traseira esquerda do Astra, recebidos de Fernanda Parra e de Eduardo Borges, entortaram as rodas e quebraram a suspensão, conclusão: o piloto abandonou a prova, sem ter a chance de fechar a primeira volta.

Enquanto isso, seu companheiro de equipe o paulista Tiago Gonçalves, que também fez uma belíssima largada pulou de terceiro para segundo, havia ultrapassado Renato Russo e chegou no pole position André Bragantini. O carro vinha rápido e por vezes tentou assumir a liderança da prova. Na sexta volta, os três carros ponteiros escorregaram no óleo que estava na pista resultante de uma batida, Tiago foi levado para a grama e brita. Com os sobressaltos que o carro levou o cabo de vela soltou e caiu no cano de escape, ficou em brasa e derreteu. Ele só conseguiu chegar até na área de box.

O chefe de equipe avaliou o fim de semana de corrida. “Tudo que aconteceu foram coisas de corrida, não fomos felizes por ter acontecido com os dois carros, pois os mesmos tinham motor de sobra para a corrida e, com certeza, se tivessem concluído pontuariam nesta etapa. Os pilotos estão competitivos, a categoria está com equipes cada vez mais preparadas e estamos entre elas, vamos arrumar os carros e na próxima estaremos na briga novamente”, afirmou Nivaldo Patrício.     

Os pilotos lamentaram os episódios da segunda etapa. “Os carros estavam ótimos, vínhamos numa crescente durante os treinos livres. No classificatório tive o azar de uma peça nova estar com defeito de fabricação e quebrar na saída para a tomada de tempos da corrida. Depois na prova, recebi duas pancadas que entortaram duas rodas. Tudo tem seu lado positivo, pelo menos ganhei mais experiência nesse circuito, pois foi minha segunda etapa em Curitiba, para a próxima nela, em setembro, a conversa será outra”, finalizou o mineiro Filipe Nogueira que tem patrocínio da Lupo, Asseptgel-Start Química, Philippines e Grafons Cards.

A vitória foi do paranaense André Bragantini Jr após 27 voltas com 40min32seg680.  O paulista Norberto Gresse Filho chegou em segundo a 2seg627 e em terceiro, também paulista, Rafael Daniel a 3seg833.

A próxima etapa está prevista para o dia 03 de junho na cidade de Campo Grande (MS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *