Stock: Max Wilson vence no Sul e assume liderança da Stock Car

Acidentes, punições e troca de acusações esquentam etapa de Santa Cruz do Sul.

Acidentes, punições e ânimos exaltados marcaram a vitória do estreante Max Wilson (RC) na quarta etapa da Stock Car, disputada neste domingo em Santa Cruz do Sul. Graças à bem-sucedida estratégia da equipe, Wilson – que largara apenas da quinta colocação – tomou a ponta do pole Cacá Bueno (Red Bull) na janela de reabastecimento obrigatório e assumiu a liderança do campeonato, depois de chegar ao interior gaúcho em sexto. Cacá terminou em segundo e Átila Abreu (AMG) completou o pódio.

Depois de impedir Cacá de alcançar a quarta vitória consecutiva em cinco corridas em Santa Cruz, Max fez questão de ressaltar o trabalho da equipe. “Tenho muita fé neles e eles em mim. Fiquei muito tempo fora do Brasil e eles acreditaram em mim. Sabia que não seria fácil chegar a esta posição na Stock Car, mas graças a Deus hoje deu tudo certo”, analisou Max, que passou oito anos correndo no automobilismo australiano. Sobre a corrida, disse: “Foi tranqüila. Depois do pit stop é que procurei aumentar o ritmo para aproveitar a pista limpa”, completou.

O bom público que lotou as arquibancadas e grande parte das áreas externas do autódromo viu uma corrida movimentada, repleta de toques, batidas e duas entradas do safety car. O primeiro a ser punido primeiro a ser punido com drive thru pelos comissários foi Allam Khodair (Full Time), por bater em Thiago Camilo (Vogel). Já na segunda metade da corrida, o próprio Camilo foi excluído por tirar da prova o então segundo colocado Ricardo Maurício (RC). Por fim, Marcos Gomes também foi desclassificado por descumprimento da passagem pelos boxes por excesso de velocidade no pit lane durante o reabastecimento.

Outro momento de tensão, que culminou com uma discussão na área dos boxes, envolveu William Starostik (Medley) e Felipe Maluhy (Avalone) na volta 23. Os dois bateram na reta dos boxes, abandonaram e se responsabilizaram mutuamente pelo episódio. “Eu já estava com meio carro à frente, mas o Maluhy não quis permitir a ultrapassagem, me espremeu e me deixou sem espaço”, comentou Starostik, que permanece sem pontos e lamentou mais uma oportunidade perdida. “Ganhei três posições na largada, mas depois perdi tudo no reabastecimento. Infelizmente, ainda não foi desta vez. Paciência, vamos tentar novamente na próxima etapa em São Paulo.”

O companheiro de equipe de Starostik voltou a pontuar, mas deixou evidente a frustração com o 9º lugar. “Não sei exatamente o que aconteceu, mas alguma coisa deu errada no meu reabastecimento. Muita gente que estava atrás de mim na pista reapareceu na frente após a parada”, disse Xandinho Negrão. Enquanto a equipe reabastecia seu carro, Cacá chegou a acertar sua traseira ao tentar deixar o pit lane, já que as duas equipes eram vizinhas de boxes. “Eu tinha chances concretas de terminar pelo menos em sexto, levando em conta as colocações antes do pit stop. Eu estava fazendo uma corrida cautelosa, porque precisamos pontuar e, do jeito que o pessoal anda batendo na categoria, basta chegar ao fim para terminar na zona de pontos”, afirmou Xandinho Negrão.

O resultado da corrida foi este:

1º) Max Wilson (CV) 32 voltas em 48min37s154
2º) Cacá Bueno (P3) a 6s382
3º) Atila Abreu (CV), a 6s709
4º) Antonio Pizzonia (P3) a 8s541
5º) Daniel Serra (P3) a 9s358
6º) Valdeno Brito (P3) a 12s347
7º) Popó Bueno (CV) a 13s272
8º) Rodrigo Sperafico (P3) a 13s763
9º) Xandinho Negrão (CV) a 14s470
10º) Alceu Feldmann (CV), a 14s775
11º) Luciano Burti (CV , SP), a 15s258
12º) Paulo Salustiano (CV) a 18s838
13º) Allam Khodair (P3), a 19s302
14º) Nonô Figueiredo (CV) a 24s640
15º) Giuliano Losacco (P3) a 29s373
16º) Antonio Jorge Neto (P3) a 31s877
17º) Norberto Gresse (CV) a 32s164
18º) Ricardo Sperafico (P3) a 34s362
19º) David Muffato (P3) a 34s510
20º) Chico Serra (P3) a 36s343
21º) Claudio Capparelli (P3) a 52s067
22º) Enrique Bernoldi (P3), a 1 volta
23º) William Starostik (CV), a 9 voltas
24º) Tarso Marques (CV) a 11 voltas
25º) Felipe Maluhy (P3) a 12 voltas
26º) Ricardo Mauricio (CV) a 15 voltas
27º) Daniel Landi (P3) a 17 voltas
28º) Lico Kaesemodel (CV) a 28 voltas

CV: Chevrolet Vectra
P3: Peugeot 307

Os quinze primeiros no campeonato: 1º) Max Wilson, 53 pontos; 2º) Valdeno Brito e Cacá Bueno, 49; 4º) Antonio Pizzonia,44; 5) Átila Abreu, 41; 6) Allam Khodair, 39; 7) Paulo Salustiano, 36; 8) Ricardo Maurício e Daniel Serra, 32; 10) Thiago Camilo, 29; 11) Antonio Jorge Neto, 26; 12) Xandinho Negrão, 21; 13) Marcos Gomes, 19; 14) Nono Figueiredo, 18; 15) Luciano Burti e David Muffato, 14. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *