Stock: Medley começa defesa dos títulos da Stock Car

Xandinho e Starostik, nova dupla de pilotos, não têm medo da pressão.

Depois da memorável campanha de 2008, quando conquistou a dobradinha de equipes e de pilotos da Stock Car, a Equipe Medley começa nesta sexta-feira a defender os títulos da mais importante categoria do automobilismo nacional. A pista de Interlagos será aberta para as duas primeiras sessões de treinos livres abertura do calendário, marcada para domingo no autódromo paulistano.

No ano passado, a organização comandada pelo diretor-técnico Andreas Mattheis venceu oito das 12 etapas. Ricardo Maurício foi o campeão, seguido pelo companheiro Marcos Gomes. Valdeno Brito, o terceiro piloto da equipe, terminou na quinta colocação. Ao final da temporada, no entanto, a Medley iniciou um ambicioso processo de reformulação. Optou por concentrar esforços em apenas uma equipe de dois carros, dispensou os três pilotos e contratou o estreante Xandinho Negrão para fazer parceria com o paranaense William Starostik, que correra ao lado de Ricardo Maurício, mas sem contar com o patrocínio da empresa. Com apoio da Red Bull, a outra equipe de Mattheis contará com Cacá Bueno e Daniel Serra.

Xandinho, de 23 anos, e Starostik, de 24, sabem da responsabilidade que terão pela frente. Desde que a Medley e Mattheis iniciaram a parceria em 1998, todos os pilotos que passaram pela equipe ganharam ao menos uma corrida. Esse foi o caso, por exemplo, do paraibano Valdeno Brito, que alcançou uma inédita vitória na etapa que pagou o prêmio recorde de um milhão de dólares no Rio de Janeiro em 2008. Três meses antes, Maurício, Gomes e Valdeno, nessa ordem, ocuparam os três lugares do pódio em Curitiba – façanha inédita nos 30 anos de existência da categoria.

“Andar numa equipe vencedora é muito mais um fator de otimismo do que de pressão. Além disso, conheço o Andreas há muitos anos e chegamos a trabalhar juntos na vitória nas Mil Milhas Brasileiras de 2005 e no título do Brasileiro de Endurance. A ambientação será natural”, observa Xandinho, que está regressando ao Brasil depois de quatro anos na Europa, onde correu na Fórmula GP2 de 2005 a 2007 e no Mundial de FIA GT em 2008. Starostik também descarta qualquer preocupação com um possível peso extra representado pelo histórico do time baseado em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro. “Ainda sou novo, não tenho tanta experiência e meu objetivo é continuar evoluindo”, avisa o piloto, cujo melhor resultado no ano passado foi um 5º lugar em Curitiba.

Nesta quinta-feira, enquanto os promotores explicavam as mudanças introduzidas no campeonato – com ênfase no novo carro que substitui o modelo utilizado desde 2000 -, Xandinho e Starostik passaram pelos boxes para começar a preparação para os treinos de amanhã. Os carros da equipe não foram bem nos testes coletivos desta semana no mesmo circuito. “Há um problema com a parte hidráulica da direção. Além de ela ficar dura de repente, não permite uma condução precisa aos pilotos. Temos um trabalho difícil neste fim de semana”, antecipa Mattheis.

Carlos Col, executivo da empresa que organiza a Stock Car, defendeu-se das críticas de que a estréia do novo carro deveria ter sido adiada em função da crise internacional, cujos reflexos vêm sendo sentidos no Brasil e, em conseqüência, na Stock Car. “O Brasil está sólido e a Stock Car também. Diziam que não conseguiríamos encher o grid e os 32 carros estão aí”, rebateu. O dirigente disse ainda que a corrida de rua em Salvador, prevista para agosto, deverá ser confirmada até dia 15 de abril, desde que os padrões de segurança estejam assegurados. E, ao contrário do que imaginava o meio, afirmou que a corrida do milhão de dólares poderá ser reeditada neste ano. “Estamos buscando parceiros.”

Divididas em dois grupos, as duas sessões de treinos terão 30 minutos cada e começarão às 11h20. As tomadas classificatórias, agora com formato quase idêntico ao da Fórmula 1, serão realizadas sábado. Domingo, a largada para as 27 voltas ou máximo de 50 minutos será autorizada às 11h00. A TV Globo entrará ao vivo a partir da parada para troca de pneus, marcada para a “janela” entra o 25º e o 35º minuto de prova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *