Stock: Pachenki acusa Burti por tentativa de atropelamento, com vídeo

Diante de aplauso irônico por acidente que provocou na Stock Car V8, piloto paulista ‘joga’ carro contra equipe do paranaense.


A quinta etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Car V8 terminou com tensão nos boxes do Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Londrina. Ainda no retorno dos pilotos aos boxes após a corrida deste domingo (23), Luciano Burti avançou com seu Stock Car em direção ao piloto paranaense Diogo Pachenki e ao seu pai, Jairo Pachenki, que estavam no pit lane. A manobra ofensiva do piloto paulista foi pivô de discussão nos bastidores.

“Ele nitidamente tentou nos atropelar. Se nós não tivéssemos pulado para trás naquela hora, teria nos acertado”, denuncia Pachenki, atribuindo o que define como “manobra inconseqüente” à disputa entre os dois pilotos durante a prova. “O que ele fez foi um crime, não é uma atitude digna de um piloto que esteja no grid de uma categoria do nível da Stock Car. Eu tenho a imagem em vídeo para provar o que estou dizendo, não é uma acusação infundada”, disse.

O problema entre Diogo e Luciano teve origem no início da prova. O piloto paranaense, 24º no grid, fez uma boa largada e ganhou seis posições na primeira volta, passando a integrar o mesmo pelotão onde estava o paulista, que largou da 15ª posição. “Ainda no começo, acho que era a terceira volta, ele escapou na entrada da reta oposta e vários pilotos passaram por ele. Eu estava um pouco mais longe, mas também me aproximei para ultrapassar”, narrou.

Segundo Pachenki, a tentativa de ultrapassagem foi dificultada por Burti. “Ele tentou me fechar para um lado, depois para outro, mas consegui passá-lo por fora, no final da reta oposta. Demos mais uma volta, ele vinha praticamente colado na minha traseira. Na entrada da reta dos boxes, o Luciano me deu uma pancada muito forte na traseira. Tenho certeza de que foi uma batida proposital. Isso deixou o meu carro completamente desalinhado”, prosseguiu.

O paranaense da PowerTech, diante da condição de seu carro, foi para os boxes. “Os mecânicos deram uma olhada e me disseram que não havia nada quebrado, aparentemente. Voltei para à pista e, coincidentemente, logo à frente do Luciano. Mas deixei ele passar, não atrapalhei em nada a corrida dele, até porque eu era retardatário. Vi que, com o carro todo torto, eu não teria condições de ficar na pista. Então, resolvi abandonar a corrida”, descreveu.

Ao final da prova, Diogo e Jairo, que estavam no pit lane, aguardavam a passagem de Luciano. “Quando ele passou, meu pai e eu ‘aplaudimos’ a besteira que ele fez comigo na pista. É claro que foi com ironia, nós estávamos indignados, porque a batida que ele deu na traseira do meu carro foi uma atitude sem qualquer profissionalismo. Quando fizemos isso, ele atirou o carro dele contra nós. Acertou, inclusive, a mão do meu pai, fez um corte no dedo dele”, relatou.

A manobra de Burti na área de boxes obrigou Diogo, Jairo e um torcedor que estava próximo dos dois a saltarem para trás. “O rapaz não tinha nada a ver com a nossa equipe, ficou ainda mais revoltado que nós. Todos nós já estávamos indignados, e ainda assim tivemos que acalmar o rapaz, ele ficou muito nervoso”, contou Pachenki, lamentando também a chance que perdeu de marcar pontos. “O carro estava bom até a batida, eu poderia vir para a frente”.

“Foi tentativa de atropelamento, algo que não se espera de um piloto que já esteve na Fórmula 1. Não é a primeira vez que Luciano Burti provoca acidentes na Stock Car V8. Agora, tenta atropelar pessoas. Ele se julga uma estrela máxima, e mal conhece os demais pilotos da categoria. Em Londrina, conseguiu só os dois primeiros pontos dele no ano. Fico imaginando o que ele pensaria de si próprio se tivesse mostrado potencial para disputar o título”, desabafou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *