Stock: Para Nonô, Brasília será marcada por peculiaridades

Circuito e época da corrida poderão definir resultados.

Nonô Figueiredo acredita que a segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Stock Car, que acontece no fim de semana, em Brasília, será marcada por várias peculiaridades. Para o piloto paulista da equipe Officer Motorsport a mudança da época da corrida, o asfalto local e as características do circuito do Distrito Federal serão as peças chave para o resultado da competição. Segundo Figueiredo, as disputas deverão ser ainda mais intensas que o normal:


 


“Pelo fato de corrermos no anel externo as diferenças de tempo em Brasília sempre são menores entre um carro e outro. Este ano a disputa será ainda mais acirrada, pois estamos trabalhando com novas variáveis técnicas; além disso, o clima mais ameno permitirá aos motores produzir maior potência enquanto nós, pilotos, sofreremos menor desgaste físico, dois detalhes que se traduzem facilmente em melhor desempenho.”


 


As variáveis mencionadas pelo piloto referem-se principalmente aos novos pneus e ao novo diferencial homologados para esta temporada. Ainda que todas as equipes já tenham adquirido uma boa quantidade de dados sobre os parâmetros de funcionamento desses itens, Nonô acredita que em Brasília o progresso neste âmbito será menor em função do programa da etapa paulista ter incluído uma sessão extra de treinos. “Como não teremos muito treino quanto na primeira etapa isto poderá fazer a diferença entre as equipes”, explicou o piloto da Officer Motorsport.


 


Circuito conhecido pelo desgaste excessivo do pneu dianteiro esquerdo – conseqüência de ter todas as suas curvas para a direita -, Brasília exigirá este atenção extra com relação ao elo entre os carros e o asfalto. Na opinião de Nonô, “a característica abrasiva do asfalto local exigirá um acerto específico para a tomada de tempos e outro para a corrida”, que terá a duração máxima de 50 minutos.


 


Com relação ao novo sistema de classificação, que tem duas sessões para escolher os seis mais rápidos – que disputam dois a dois as posições das três primeiras filas do grid -, Figueiredo ainda não tem opinião formada:


 


“Ainda é muito cedo para uma conclusão que, acredito, virá depois de duas ou três corridas.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *