Stock: Paulo Salustiano espera voltar a andar bem no Rio de Janeiro

Voltar ao normal. Esse é o pensamento do paulista Paulo Salustiano (Inpacom/ Nicoboco/Sawary/RedeTV) para a 11ª etapa da Copa Nextel Stock Car, que acontece neste fim de semana (16 a 18/11) no Rio de Janeiro. O piloto, que começou bem a temporada, teve alguns problemas e bastante azar nas últimas corridas.

“Temos que nos apresentar de forma totalmente diferente do que fizemos nas duas últimas provas, quando perdemos o caminho. Precisamos voltar ao bom desempenho mostrado até a corrida de Brasília”, desabafa. A prova de domingo será às 11 horas, com transmissão ao vivo da TV Globo.

Um dos caminhos escolhidos pela M4T/WAS para retornar à antiga forma é não fazer nenhuma mudança radical no carro. “Temos que usar a mesma configuração do carro do começo do ano. Implantar uma novidade agora é um risco muito grande”, avalia Miguel Ferreira, chefe da equipe. Para Paulo Salustiano a chave para alcançar um bom resultado na corrida em Jacarepaguá é escapar da confusão na largada. “As primeiras curvas são rápidas, do antigo oval. Mas logo depois vem uma curva muito fechada, para voltarmos ao misto, e os carros vão estar todos juntos. Quem sair bem dali tem grande chance de pontuar”, aposta o vice-campeão da Stock Light de 2005.

A expectativa é de uma corrida bem agitada e cheia de alternativas no Autódromo Internacional Nelson Piquet. Praticamente todos os pilotos ainda estão brigando por alguma coisa dentro do campeonato. Salustiano acredita que a disputa não será tranqüila. “Vai ser diferente do que foi visto muitas vezes nesse ano. Muita gente vai arriscar porque precisa chegar na frente. Seja na busca do título, seja para garantir uma vaga em 2008”, prevê o representante da Inpacom/Nicoboco/Sawary/RedeTV.

O principal objetivo de todos na M4T/WAS para as duas provas finais é classificar a equipe entre as 16 primeiras colocadas do campeonato e garantir uma vaga para a disputa da temporada de 2008. Com 24 pontos ganhos, o time está a uma posição de alcançar a meta. “A previsão é de que 40 pontos seja o suficiente para se classificar. Então temos que somar pelo menos 12 pontos neste fim de semana”, explica Ferreira. O dirigente também acredita que chegar com tranqüilidade para a última prova em São Paulo será fundamental. “Em Interlagos todo mundo vai estar sob muita pressão. Além de estar perto de familiares e patrocinadores, é a última e decisiva prova. Quanto antes aliviarmos essa pressão, melhor”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *