Stock: Quebra de Burti e acidente de Muffato tiram Itaipava Racing Team da corrida em Curitiba

Luciano Burti tinha chances de chegar ao pódio, mas precisou deixar a corrida em função de um problema na alavanca do câmbio. Na primeira volta, prova teve acidente de David Muffato.

Luciano Burti contornava a penúltima curva do circuito, na sexta das 33 voltas previstas, quando o carro ficou preso em terceira marcha. A alavanca havia quebrado e determinava o fim da prova para o piloto. Até ali, fazia boa corrida. Largou em terceiro e, naquele momento, se defendia dos ataques de Atila Abreu na disputa pela quarta posição. “Eu estava no limitador, acelerando tudo em terceira marcha, com um monte de gente atrás de mim e sem espaço para passar. O Atila (Abreu) foi até cuidadoso, porque não tinha por onde ele escapar”, contou Luciano Burti.

A quebra impediu o que poderia render um ótimo resultado. “O carro não tinha performance no começo, mas bem na hora em que eu achei que pudesse começar a recuperar, quebrou a alavanca do câmbio. Eu teria feito pontos importantes aqui”, lamentou. A corrida foi vencida por Allam Khodair, com Ricardo Maurício em segundo e Nonô Figueiredo em terceiro. Max Wilson segue na liderança do campeonato. “Foi um ponto positivo melhorar na classificação, mas enquanto não terminarmos as corridas não podemos pensar em campeonato”, resumiu.

Nas cinco voltas que completou, Luciano Burti teve uma excelente disputa por posição com Ricardo Maurício, mas reconhece que levava desvantagem no duelo pela terceira colocação em função do ajuste do carro, que não estava tão bom quanto se imaginava. “Alguma coisa aconteceu com o carro, que estava com um equilíbrio muito diferente do que nós esperávamos. Escolhemos fazer certos ajustes para ter um carro bom para a corrida, mas alguma coisa está fora do que nós tentamos fazer”, explicou o piloto da Itaipava Racing Team, que busca os primeiros pontos na temporada.

David Muffato teve uma corrida ainda mais curta: completou apenas uma volta em função de um acidente sofrido com Betinho Gresse na largada. “Essa posição, largando ali no meio do pelotão, de décimo para trás, é complicada. Eu larguei relativamente bem, passei alguns carros e na freada estava tranquilo atrás do Betinho (Gresse) quando levei uma pancada, que não sei nem de quem foi, e bati nele, danificando o capô e a frente do carro”, disse David Muffato – os danos provocaram o abandono imediato do piloto paranaense.

Depois do acidente, David Muffato conta que ficou um bom tempo sem ver o que acontecia à frente, já que o capô estava se soltando e impedia a visão do piloto. “Eu não tinha visão nenhuma na reta, não conseguia enxergar. Tanto que eu tinha a preocupação de sair da frente dos outros, mas não dava para saber para onde ir, então muita gente bateu em mim. Foi uma pena porque, como em São Paulo, dava para chegar entre os dez primeiros”, acrescentou. A próxima etapa da Stock Car será disputada no dia 2 de maio no novo autódromo Velopark, em Nova Santa Rita (RS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *