Stock: Ricardo Maurício espera rodízio na superpole

As próximas etapas da Stock Car deverão continuar sendo marcadas por grande alternância na lista dos 10 pilotos que disputam a pole na segunda sessão classificatória. Essa, pelo menos, é a expectativa de Ricardo Maurício (Medley), uma das raras exceções – a outra foi Tarso Marques (Terra Racing) – a ter entrado na superclassificação das duas etapas já realizadas.

“A categoria está muito equilibrada, como mostraram os treinos classificatórios em Curitiba, onde 31 carros ficaram dentro do mesmo segundo. A maioria das equipes já tem uma base boa e vem aumentando o conhecimento desses novos pneus nacionais. Por isso, é bastante provável que haja um rodízio constante na superpole”, analisa Maurício, que perdeu a chance de conservar a liderança ao abandonar ainda na segunda volta na capital paranaense. Ocupa agora a 3ª colocação com 28 pontos, contra 31 de Rodrigo Sperafico (Action Power) e 28 de Daniel Serra (Red Bull).

Ao contrário das impressões iniciais, não foi a quebra do motor que deixou o piloto da Medley a pé. Os prisioneiros do distribuidor se soltaram e provocaram a pane que desligou o motor. “Senti a falhação e quase imediatamente apagou tudo. É uma situação dificílima de acontecer. Tenho certeza que tão cedo não se repetirá”, continuou vencedor em Interlagos na abertura da temporada.

Apesar da decepção com a saída prematura, Maurício voltou para São Paulo satisfeito com o potencial da equipe. “Estamos competitivos. O carro estava equilibrado desde o fim dos treinos da sexta-feira e só não continuei na ponta da tabela por causa da má sorte. Se eu terminasse na mesma 7ª posição onde larguei, ainda assim continuaria na frente do campeonato”, lembrou.

Nos próximos dias, os carros do time capitaneado pelo diretor-técnico Andreas Mattheis serão submetidos a revisão completa nas oficinas de Petrópolis (RJ). A próxima etapa está marcada para 3 de junho, em Campo Grande (MS). “Só corri nesse traçado no ano passado, naquela prova debaixo de tempestade. Será uma prova onde largar nas duas primeiras filas será fundamental. Ninguém passa em Campo Grande, a não ser que o piloto da frente cometa um erro.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *