Stock: Thiago Camilo: “vitória tirou um peso das minhas costas”

Agora na Ipiranga RCM, vice-campeão de 2009 quer esquecer a temporada passada e lutar para disputar o título da Copa Caixa Stock Car

Thiago Camilo demorou algum tempo para assimilar a vitória conquistada na abertura da temporada 2011 da Copa Caixa Stock Car, domingo, no Autódromo Internacional de Curitiba (AIC), em Pinhais. Ele largou da 11ª posição, fez várias ultrapassagens logo no início, não trocou pneus na parada obrigatória nos boxes e voltou a vencer na principal categoria do automobilismo. Foi um final de semana perfeito, para deixar de vez no passado o péssimo campeonato que fez em 2010 – foi 12º no geral. E tudo isso em sua estreia na Ipiranga RCM, do experiente Rosinei ‘Meinha’ Campos e direção de André Bragantini, após sete anos correndo em outra escuderia.

“Comemorei muito depois da corrida e ali mesmo já senti que tinha tirado um peso grande das costas”, admitiu. Camilo nunca havia ficado fora da Super Final da Stock Car e sempre entre os seis primeiros. Ano passado, não chegou entre os 10 que disputam o título e chegou a questionar se havia algo de errado com sua pilotagem. “Se eu disser que não pensei nisso, vou estar mentindo, mas sempre confiei no trabalho. Mas são coisas que já superei e prefiro deixar tudo para atrás, porque a história agora é outra. Foi um ano extremamente difícil para mim, muito mesmo”, falou o piloto de 26 anos. Em 2007 e 2008, foi terceiro na classificação final e em 2009, vice-campeão.

Desde que fechou contrato com a nova equipe, Thiago Camilo procurou ao máximo conhecer internamente o time, ganhar o respeito dos profissionais para arrancar para um ano de sucesso. “Senti que os mecânicos tinham confiança em mim. Deu para ver isso no rosto deles quando cheguei.” As visitas regulares a Curitiba, sede da equipe, também ajudaram na aproximação. Quando iniciou os trabalhos de pista na primeira etapa, Camilo já estava em casa, adaptado. Tanto que marcou o melhor tempo da sexta-feira no Autódromo de Curitiba. Apesar da mudança nas condições de pista o sábado e o 11º lugar no grid, ele sabia que tinha um carro competitivo nas mãos.

A igualdade entre os carros da Copa Caixa Stock Car era o grande problema que o piloto da Ipiranga RCM tinha certeza que enfrentaria se quisesse vencer. Foi para a pista no domingo com a certeza que deveria poupar o equipamento e contar com a sorte para subir na classificação. A vitória não havia passado pela cabeça. “Eu tinha de fazer o carro durar a corrida toda para que não precisasse fazer a troca dos pneus traseiros. Só trocaria os pneus se realmente estivesse impossível de guiar.” Não ter trocado os pneus foi outro trunfo para a vitória.

Quando saiu dos boxes, conforme os rivais foram parando, Thiago Camilo galgou suas posições de direito e na 21 volta assumiu a ponta com o então líder Felipe Maluhy (Officer ProGP) fez o reabastecimento. “Meu ritmo era forte, e comecei a administrar a vantagem para quem vinha atrás. O único problema que tive foi uma falha no motor na última volta, foi um belo susto. Foi alguma coisa na parte elétrica, e vamos procurar solucionar isso para não se repetir na segunda etapa aqui em São Paulo.”

Na última volta, a câmera onboard do carro mostrou Thiago Camilo fazendo sete vezes o sinal da cruz. “Completei as últimas voltas buscando ao concentração, em um momento que é do piloto. A televisão mostrou aquela imagem, mas eu devo ter feito o sinal da cruz muitas vezes, se bobear foi mais de 50”, brincou o primeiro vencedor da temporada 2011 da Copa Caixa Stock Car. “Só rezei para que tudo desse certo. Estou muito feliz que isso aconteceu.”

Confira a classificação* da Copa Caixa Stock Car – após 1 de 12 etapas:
1) Thiago Camilo – 25 pontos
2) Max Wilson – 20
3) Ricardo Zonta – 16
4) Átila Abreu – 14
5) Luciano Burti – 12
6) Popó Bueno – 10
7) Julio Campos – 9
8) David Muffato – 8
9) Duda Pamplona – 7
10) Giuliano Losacco – 6
11) Cacá Bueno – 5
12) Felipe Maluhy – 4
13) Eduardo Leite – 3
14) Marcos Gomes – 2
15) Daniel Serra – 1 ponto

A Copa Caixa de Stock Car tem organização e realização da Vicar Promoções Desportivas, com supervisão da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA). A Caixa é um dos patrocinadores oficiais da principal categoria do automobilismo, dando nome à divisão, que ainda tem o patrocínio da Goodyear, além do co-patrocínio de Esso, Bosch, Mobil Super, Pioneer e o apoio da Itaipava. As montadoras são Chevrolet e Peugeot.

* classificação extra-oficial, não homologada pela Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *