Stock: Tirado da pista por Bernoldi, Brito cai para fim da fila, faz melhor volta e chega em 14º

Paraibano atesta competitividade de seu carro na abertura do playoff da Stock Car V8 e supõe que estaria no pódio da corrida em Buenos Aires.

“Poderia ser o meu dia”. A constatação de Valdeno Brito após a nona etapa a Copa Nextel Stock Car V8, neste domingo (14) em Buenos Aires, expressou bem a decepção do piloto paraibano. Ele terminou a corrida em 14º lugar e supõe que poderia estar no pódio se não tivesse levado, na quarta das 35 voltas, um toque na traseira que o fez cair do quinto para o antepenúltimo lugar num momento em que 36 carros estavam na pista.

O toque aconteceu durante a disputa de Brito com Enrique Bernoldi, pelo quarto lugar. Brito, sétimo no grid, era o quinto. No miolo do circuito, emparelhou seu carro com o do paranaense. “Pus do lado dele, ele voltou e nos tocamos. Até então, a única conseqüência foi o fato do Thiago Camilo ultrapassar nós dois”, descreveu o paraibano, que recebeu o toque de Bernoldi na traseira do carro duas curvas depois. “Foi numa condição em que eu não podia me defender”.

Como resultado do toque, Brito rodou e saiu da pista. “Tentei engatar a marcha, a marcha não entrou e despenquei lá para o fim da fila. Fiquei chateado, porque meu carro estava muito bom, bom demais, eu chegava com facilidade nos pilotos da frente”, lamentou o piloto da Neo Química-Neosoro/JF Racing, um dos 10 que seguem na disputa pelo título. “Era uma corrida em que eu tinha tudo para ir ao pódio. Certeza, certeza que estaria no pódio”.

Numa atuação de recuperação, Brito terminou a corrida argentina em 15º lugar e subiu para 14º com a desclassificação do amazonense Antonio Pizzonia, atribuída a uma manobra anti-desportiva. Antes do toque de Bernoldi, cronometrou a volta mais rápida da etapa, na terceira, em 1min21s208, com média de 148,669 km/h. “Não quero crer que o Bernoldi tenha feito isso de propósito, mas é fato que a manobra dele me tirou do pódio e complicou meu campeonato”, disse.

O goiano Ruben Fontes, companheiro de equipe de Brito, fechou a etapa na sétima colocação, depois de largar em 15º. “Meu objetivo era chegar entre os cinco primeiros, e quase consegui”, comentou o piloto, que na fase final da prova viu-se envolvido numa disputa acirrada pelo quinto lugar com Felipe Maluhy, Rodrigo Sperafico, Nonô Figueiredo, Ricardo Zonta e Daniel Serra. Fontes subiu três posições na classificação do campeonato – passou a ser 13º.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *