Stock: Vice-líder chega em 3º e ganha fôlego sobre o atual campeão Cacá Bueno

De ponta a ponta, e com direito à melhor volta, Thiago Camilo (Vogel/Texaco) aproveitou a pole position e venceu a quinta etapa da Stock Car, disputada neste domingo no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Londrina. O piloto paulista foi o quinto ganhador diferente na temporada mais equilibrada da história da categoria e conseguiu ampliar para 16 pontos a liderança sobre o vice Ricardo Maurício (Medley), o terceiro colocado no norte paranaense. Em seu melhor resultado do ano, o paraibano Valdeno Brito (JF Racing) terminou em segundo.

A corrida não apresentou grandes emoções e foi praticamente decidida no início: na largada, Maurício soube tirar proveito das características do traçado e ganhou a quarta posição de Cacá Bueno (RC) ao contornar por dentro a primeira curva. Na volta de número cinco, Ruben Fontes (JF Racing), que havia partido na primeira fila, escapou na Curva do Estádio e caiu para o 8º lugar. A partir daí, as principais posições permaneceram quase inalteradas.

“Para quem estava fora, pode ter parecido que foi uma vitória fácil. Mas, na verdade, foi complicada desde o início porque o Valdeno não deu trégua nem um minuto. Eu tentava escapar, mas ele não aliviava. Tive de andar no limite o tempo todo e, por isso, acabei até cometendo um erro. Com essa perseguição, foi difícil manter a concentração”, comentou Camilo, que chegou aos 77 pontos na tabela. Valdeno, que tinha apenas três pontos antes da prova, festejou. “Falei para meus amigos que só por milagre chegaria nos playoffs decisivos. Parece que o milagre está começando…”

Maurício abriu mais dois pontos sobre Cacá Bueno e não escondia a satisfação pela volta ao pódio. O vencedor da abertura do calendário em Interlagos viveu seu pior fim de semana na etapa anterior em São Paulo, onde ficou fora dos 10 mais rápidos na superclassificação. “Aqui, graças a Deus, deu tudo certo. Era importante abrir um pouquinho do Cacá, e consegui. Estamos no caminho certo, construindo a passagem para os playoffs a cada prova”, comemorou.

Sobre a corrida, Maurício disse que alcançou o limite de suas possibilidades. “A partir de certo momento, o carro começou a sair muito de traseira. Então, achei melhor apenas administrar. Nem cheguei a usar a injeção de nitro, porque nem foi necessário. Guardei-a para um possível ataque do Cacá, o que não aconteceu. Para uma prova em Londrina, onde os acidentes são constantes e provocam a entrada do safety car, foi uma surpresa correr o tempo inteiro com bandeira verde. A entrada do safety car poderia me aproximar dos ponteiros, mas também ajudaria o Cacá. Foi melhor assim”, avaliou.

Companheiro de equipe de Maurício, Marcos Gomes largou na última fila, andou sempre no bloco de trás numa pista de ultrapassagens virtualmente impossíveis e recebeu a bandeirada em 31º, depois de receber um discutível “drive thru” por um choque com Christian Conde. Mesmo assim, com 32 pontos decorrentes dos terceiros lugares em Campo Grande e Interlagos, continua em 9º lugar no campeonato. Guto Negrão, da Vivanz 307 Racing, se deu um pouco melhor na prova e recebeu a bandeirada quadriculada em 25º.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *