Super F-SP: Temporada 2009 terá uma nova categoria monoposto

A partir do próximo ano o calendário do Paulista de Velocidade no Asfalto recebe uma nova categoria, a Super Fórmula SP.

Correndo a princípio apenas no circuito de Interlagos (SP), a Super Fórmula SP utiliza os chassis e motores da Fórmula Renault, exitinda desde 2006.

A nova categoria terá como foco os pilotos vindos do kart ou aqueles que já realizaram uma temporada na Fórmula SP, que continuará a existir em seu formato normal, antes de ingressarem na Fórmula 3 Sulamericana ou viajarem para fora do país, ou seja, a idéia é ser uma categoria escola.

Com organização da Medrar, empresa do ex-piloto José Eduardo Ávila e do Engenheiro Samuel Gomez, a categoria nasce com uma nova proposta: um campeonato sustentável.

Em parceria com universidades e escolas técnicas, a nova categoria pretende investir não somente no jovem que deseja ser piloto, mas também os muitos que procuram uma vaga para trabalhar na área, seja como profissional de box como mecânicos ou engenheiros, ou ainda como jornalistas, profissionais de educação física, publicidade entre outros.

A nova categoria que terá lançamento oficial no próximo mês já recebeu a confirmação de times tradicionais no automobilismo nacional como Cesário Fórmula, Dragão Motorsport, PropCar Racing, Comtec Motorsport, W.S. Motorspot e Scuderia JK.

“Não estamos fazendo um campeonato melhor nem pior do que os outros, mas sim um campeonato diferente. Desde o começo estamos pensando em todos os aspectos, que seja viável para os pilotos e equipes e que possamos dar a oportunidade para jovens profissionais que querem trabalhar no automobilismo nas mais diversas áreas”, explicou Ávila em entrevista exclusiva ao SpeedRacing.com.br.

O pacote técnico ainda não foi confirmado, mas deverá utilizar chassi e motor da antiga Fórmula Renault com aproximadamente 170cv, porém agora alimentado por biocombustível e não mais gasolina. O motor está sendo preparado pelo Instituto Mauá de Tecnologia para receber o novo combustível 100% nacional, o que tornará a Super Fórmula SP a única categoria no mundo a correr com biocombustível. Os pneus deverão ser nacionais da Pirelli, além de diversas peças de carenagem e mecânicas a serem nacionalizadas.

A preparação do motor ficará a cargo de uma empresa única para todos os times com a finalidade de diminuir os gastos. A empresa ainda não foi escolhida, porém não deverá ficar a cargo da JL Racing (antiga ZF), empresa que cuidava da antiga F-Renault e atualmente é responsável pelos motores da Stock Car. Segundo Ávila, conversas com o próprio Instituto Mauá estão sendo mantidas para a manutenção dos propulsores na temporada 2009.

A temporada da nova categoria será composta por dez etapas, todas disputadas no autódromo de Interlagos junto com o calendário do Paulista de Velocidade no Asfalto. O custo aproximado da temporada completa deverá ficar em R$ 250 mil.

Em tempos de escassez de categorias monoposto, a Super Fórmula SP chega em boa hora e com idéias modernas e revolucionárias de organização. Agora é torcer para que o sucesso seja atingido e a categoria se fortaleça, firmando no cenário automobilístico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *