Super GT: João Paulo de Oliveira defende liderança na Malásia

Brasileiro venceu nos dois últimos anos em Sepang.

Líder do Campeonato Japonês de Super GT após três etapas, João Paulo de Oliveira (Nissan) volta a acelerar forte neste final de semana (19 a 21/6), quando disputará a prova no moderno circuito de Sepang, na Malásia, onde venceu nas duas últimas temporadas. “Sepang é um lugar muito especial pra mim. Adoro o clima, a pista, o povo. Seria maravilhoso conquistar mais um bom resultado lá”, avisa. O brasileiro soma 31 pontos, um de vantagem sobre a dupla Andre Loterer (ALE)/Jyuichi Wakisaka (JAP), com Lexus SC430.

 

João Paulo está bastante empolgado por voltar à pista onde conquistou ao lado do japonês Seji Ara, as vitórias na sede do GP da Malásia de F1 em 2007 e 2008. “Dessa vez eu acho que teremos mais dificuldades. Teremos o carro mais pesado e no traçado de Sepang o peso afeta muito a performance dos pneus”, observa.

 

O brasileiro está sofrendo com o peso extra em seu carro nesta temporada. Até a sexta etapa da competição, cada ponto conquistado no campeonato resultará no acréscimo de 2 quilos no carro. Como ele tem 31 pontos carregará na etapa malaia mais 62 quilos como “punição” pelo bom desempenho. Só que ele largará com 92 quilos de lastro, já que a organização do principal campeonato de carros esportivos do Oriente impôs um adicional de 30 quilos a todos os Nissan GT-R.

 

Pensando nisto, a Yokohama promoveu um grande teste no Japão, experimentando mais de 10 tipos de pneus diferentes, com variadas construções e compostos, para encontrar a durabilidade necessária para o elevado peso que o Nissan GT-R de João Paulo estará carregando, aliado ao forte calor desta época na Malásia. “Sem dúvida os pneus são os principais fatores para se trabalhar no carro para a situação que iremos enfrentar. Tivemos bons testes em Suzuka, porém com temperaturas bem diferentes. Em Sepang o calor poderá ser radical”, lembra.

 

Apesar de todos estes desafios, João Paulo é anunciado como favorito a conquistar sua segunda vitória neste ano – a terceira consecutiva na Malásia -, o que poderia ampliar sua liderança no competitivo certame disputado entre cinco fabricantes diferentes. “Não estou pensando na liderança, penso em fazer bons pontos e nos manter na briga pelo campeonato. A liderança seria bom, claro, mas não podemos sempre nós manter líderes”, alerta JP, como é conhecido no Japão. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *