Super GT: João Paulo quer título para a Nissan

Decisão do Campeonato Japonês de Super GT terá três fábricas brigando pelo título. Brasileiro defende Nissan.



Começa nesta sexta-feira (03/11) a programação da nona e última etapa do Campeonato Japonês de Super GT, no circuito de Fuji, no Japão. No domingo (05/11), três fábricas, Honda Toyota e Nissan, mais oito duplas, estarão brigando pelo título de campões entre marcas e pilotos. Entre eles, um único brasileiro, João Paulo de Oliveira, vai ter papel preponderante nesta disputa, colaborando com a Nissan. “Um de nossos objetivos nessa corrida será ajudar a Nissan. Existe possibilidade de a montadora ser campeã, então, vamos fazer um trabalho tático para colaborar no que for possível”, aponta.


 


No último teste coletivo da Super GT em Fuji, o paulista João Paulo de Oliveira ficou com o quinto tempo no primeiro dia, e quarto no segundo, e foi o piloto da brigada Nissan que teve melhor desempenho. “Ficamos entre os cinco mais rápidos no teste lá da ultima vez, e apesar da pista não favorecer nosso carro, temos um bom acerto”, explicou o campeão da Fórmula 3 Japonesa em 2005.


 


O Nissan Fairlady Z é o único da categoria com turbo-compressor e leva desvantagem em relação aos concorrentes de motores aspirados nas retomadas de velocidade.  A corrida no Fuji Speedway, com pouco mais de 4.500 metros de extensão e que sediará a etapa japonesa da Fórmula 1 em 2007, promete muita competitividade e disputas. “Nosso carro está bem nos setores 2 e 3, que é uma seqüência de curvas rápidas e lentas. Nas retas somos lentos. Temos boas chances de largar entre os cinco primeiros, se tudo correr bem”, acredita João Paulo.


 


A Super GT já realizou sua terceira rodada este ano neste circuito, e João Paulo chegou a andar em quarto. “A possibilidade de um bom resultado é boa. Vitória não, por causa de todo o envolvimento e disputa de título entre as fábricas, mas acredito até em um pódio. No entanto, como sempre, vou depender e muito do desempenho do meu companheiro”, comentou lembrando que o seu colega de equipe Naoki Yokomizo bateu na ocasião, faltando apenas cinco voltas para o encerramento da prova.


 


Com um grande equilíbrio das montadoras nipônicas Honda, Toyota e Nissan, a Super GT Japonêsa leva alta tecnologia em seus carros, sendo também uma das categorias de turismo mais potentes da atualidade. Divididos em duas classes, denominadas GT500 e GT300, que se diferem pela potência dos motores – com 500 hp e 300 hp, respectivamente -, todos correm juntos na pista somando em torno de 40 competidores.


 


O Campeonato Japonês de Super GT está assim, após oito etapas:


 


1 – 100 Sebastien Philippe / Shinya Hosokawa (Honda NSX), 79 pontos;


2 – 36 Juichi Wakisaka / Andre Lotterer (Toyota Lexus SC430), 72;


2 – 18 Ryo Michigami / Takashi Kogure (Honda NSX), 72;


4 – 1 Yuji Tachikawa / Toranosuke Takagi (Toyota Lexus SC430), 71;


5 – 22 Michael Krumm / Richard Lyons (Nissan Fairlady Z), 70;


6 – 23 Satoshi Motoyama / Tsugio Matsuda (Nissan Fairlady Z), 69;


7 – 8 Daisuke Ito / Ralph Firman (Honda NSX), 68;


8 – 12 Benoit Treluyer / Kazuki Hoshino (Nissan Fairlady Z), 67;


9 – 35 Naoki Hattori / Peter Dumbreck (Toyota SC), 49;


10 – 6 Akira Iida / Tatsuya Kataoka (Toyota Lexus SC430), 35;


11 – 32 Loic Duval / Hideki Mutoh (Honda NSX), 31;


12 – 3 João Paulo de Oliveira / Naoki Yokomizo (Nissan Fairlady Z), 29;


13 – 24 Erik Comas / Masataka Yanagida (Nissan Fairlady Z), 23;


14 – 25 Manabu Orido / Takeshi Tsuchiya (Toyota Supra), 16;


15 – 66 Andre Couto / Katsuyuki Hiranaka (Toyota Supra), 12.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *