Truck: Abandono em Cascavel dificulta busca de Roberval pelo bi

Piloto paulista da Scania frisa alto nível de competitividade de sua equipe e observa que “os resultados não estão acontecendo”.

“Foi um fim de semana para a gente esquecer”. A justificativa, já bastante difusa nos bastidores do automobilismo, foi tomada por Roberval Andrade após a sexta etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, domingo último (17) no Autódromo Internacional de Cascavel. O piloto da Roberval Motorsport abandonou a disputa ainda na quinta volta, perdeu duas posições na tabela de classificação e teve dificultada sua missão de conquistar o segundo título.

Segundo mais rápido nos treinos livres disputados na tarde de sexta-feira (15), Roberval repetiu o resultado no treino classificatório de sábado (16). O lugar na primeira fila, contudo, lhe foi confiscado pelos comissários técnicos. A alegação para a punição, anunciada no final da noite, foi irregularidade na cambagem de seu caminhão – o Scania eletrônico número 15, preparado por sua própria equipe, a Roberval Motorsport.

“Os comissários estão certos, porque havia, de fato, uma diferença entre a medida determinada pelo regulamento e a que estava no meu caminhão. Esse é um ponto. Acontece que a diferença, além de não melhorar o rendimento, deixava o caminhão pior”, constatou o piloto. “Eu imagino que tenha ‘atacado’ uma zebra da pista com mais força durante os treinos e isso tenha alterado a configuração. Foi ruim, porque tínhamos conseguido um lugar na primeira fila”, disse.

A punição relegou Andrade ao 18º lugar no grid. No warm up de domingo, ele foi o mais rápido. “Meu caminhão estava muito competitivo, o que não chegou a ser surpresa para ninguém”, atestou. Na prova, o estouro de uma mangueira nas primeiras voltas o fez sair da pista duas vezes. O radiador do caminhão foi afetado na segunda saída, que o sujeitou à espera pelo resgate. “Quando eu saí da pista, uma pedra ou algo assim deve ter furado o radiador”, supôs.

O abandono pôs fim à chance de Andrade de empreender uma produtiva corrida de recuperação em Cascavel. “A condição que eu tinha de vir para a frente era considerável. Meu caminhão está bem acertado, eu estou me sentindo competitivo, a equipe tem se mostrado muito eficiente, mas os resultados não estão acontecendo”, analisou o paulista. “Estamos numa má fase, espero que ela vá embora da mesma maneira como chegou”.

Os problemas em Cascavel fizeram com que Roberval caísse de terceiro para quinto na tabela de classificação da Fórmula Truck. Sua desvantagem para o líder, que até a sexta etapa era de 10 pontos, subiu para 30. “Essa foi uma corrida que complicou bastante a nossa situação no campeonato, mas vamos continuar trabalhando por vitórias e pelo título. Ainda faltam três corridas. Ficou mais difícil, é verdade, mas ainda estamos na disputa”, lembrou.

A sétima e antepenúltima etapa da temporada 2006 será realizada no dia 8 de outubro, no Autódromo Internacional de Curitiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *