Truck: Beto Monteiro assume a liderança do campeonato

O paranaense Leandro Totti (Ford) venceu de ponta a ponta a acidentada segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, disputada no domingo (08/4) de Páscoa no circuito de Tarumã, em Viamão (RS). Em segundo terminou o paulista Roberval Andrade (Scania), seguido do paranaense Wellington Cirino (Mercedes-Benz) e do pernambucano Beto Monteiro (DF Motorsport/Ford Racing Trucks), que assumiu a liderança do certame com 33 pontos, apenas um de vantagem sobre Andrade.

“Cumpri o nosso objetivo, que era sair daqui na liderança do campeonato. Nosso Ford Cargo esteve perfeito e só não fui mais pra frente porque para ultrapassar aqui, você tem que estar com um equipamento muito superior ao dos seus adversários”, comentou o único nordestino da categoria.

A prova começou com um grande acidente logo no início da segunda volta, quando Vinicius Ramires (Volkswagen) e Geraldo Piquet se tocaram por duas vezes e acabaram batendo no muro entre as curvas 1 e 2. Como seus caminhões voltaram para o meio da pista, seis outros pilotos foram envolvidos: Débora Rodrigues (Volkswagen), Fabiano Brito (Volvo), Luis Zappellini (Ford), Pedro Muffato (Scania), José Maria Reis (Scania) e Renato Martins (Volkswagen). A prova foi interrompida para remoção dos caminhões e pilotos acidentados.

O maior prejudicado foi o catarinense Luis Carlos Zappelini, que ficou preso nas ferragens com fratura exposta na patela (joelho), e teve que ser encaminhado para o hospital, onde foi submetido a uma cirurgia. “É lamentável. A Fórmula Truck não é para isso. Os pilotos têm que aprender a ultrapassar e a serem ultrapassados. Está virando uma carnificina e o pior é que sobra para quem não tem nada a ver com a história”, desabafou o sorocabano Djalma Fogaça, piloto há 25 anos. “A CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) tem que estar atenta para a atitude dos pilotos. Em todas as categorias tem punição, aqui parece vale-tudo. Não tem desculpa as imagens de TV não mentem. Atitude inconseqüente tem que ser punida”, critica o chefe da equipe DF Motorsport/Ford Racing Trucks, que prepara o caminhão de Zappelini.

A prova teve relargada após 20 minutos e, apesar de Totti abrir boa vantagem, Andrade, Cirino, Monteiro e Giaffone andaram sempre próximos, sem possibilidade de ultrapassagem entre eles até a bandeirada final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *