Truck: Categoria inicia temporada 2009 em Guaporé

Temporada apresenta boas novidades incluindo uma sétima marca de caminhões e um segundo piloto estrangeiro.

No dia 8 de março terá início um dos mais populares campeonatos brasileiros: a Fórmula Truck que fará sua etapa de estréia da temporada de 2009, no tradicional circuito de Guaporé, Rio Grande do Sul.

Esse é o 14º ano da categoria que alcançou os maiores índices de público nos autódromos e revolucionou o modo de promover um evento de automobilismo esportivo no país estabelecido então, pelo seu criador Aurélio Batista Feliz, falecido exatamente há um ano na etapa de Guaporé do ano passado.

Boas novidades para o ano já mostram que a competitividade deve ser ainda maior em 2009 entre as equipes, marcas e pilotos. Nunca houve tantas alterações de pilotos e equipes como neste ano em que a crise pegou vários setores do mundo, incluindo naturalmente o esporte a motor. Uma ou outra mudança pode ter sido ocasionada pela crise mundial, que com certeza exigiu um reposicionamento com relação às contas administrativas de todas as equipes. Mas a maioria delas parece mesmo que foi em função da competitividade e reestruturação dos times que sempre se profissionalizam cada vez mais nas viradas de ano.

As novidades neste ano começam pela entrada de uma nova marca de caminhões no grid e a participação agora, de dois pilotos estrangeiros na temporada. O caminhão é o MAN, fabricado na Alemanha e construído sob o regulamento da F-Truck brasileira na oficina da ABF em Santos. O MAN já estará no grid de Guaporé pilotado pelo austríaco Egon Allgauer que junto com o argentino Gaston Mazzacane, que já correu na temporada passada, formará a dupla de pilotos estrangeiros na Fórmula Truck brasileira em 2009. Egon Allgauer tem um título na Super Truck européia em 2002 e três vice-campeonatos. “Não vejo a hora de estrear na F-Truck brasileira e conhecer o potencial dos meus adversários”, desafia Egon, que ficou amigo de Aurélio Félix em 2002 quando visitou pela primeira vez a F-Truck brasileira. “Minha participação é mais um passo para a internacionalização da categoria brasileira”, diz animado o novo piloto austríaco.

Outras novidades começam pela mudança de equipe do pernambucano Beto Monteiro, que depois de ter sido campeão em 2004 com um Ford, correu no ano passado pilotando o Scania da Roberval Motorsport e agora assume um dos Iveco da Scuderia Iveco, ocupando a vaga de Adalberto Jardim que deixa a categoria. “Vai ser um novo desafio que estou encarando com muito otimismo. O caminhão é novo e estamos trabalhando no seu desenvolvimento”, disse Beto Monteiro que fez o primeiro e único treino em Interlagos na semana passada antes da sua estréia em Guaporé, onde venceu no ano passado.

O paulista Roberval Andrade continua com o apoio da Scania e sozinho no time que comanda, agora com novo nome, RVR Motorsport (iniciais de Roberval, Vitor, seu filho e Rejiane, sua esposa). No entanto pode-se dizer que Roberval não ficará tão sozinho assim. Sua equipe montou uma parceria com o novo time goiano de José Maria Reis, agora com o criativo nome de Original Reis Motorsport. A estrutura da RVR vai dar todo o apoio tecnológico para os novos caminhões Scania que José Maria e seu sobrinho Leandro Reis trocaram pelos Volkswagen que correram no ano passado. “Dividimos para multiplicar. Agora são três Scania para cuidarmos”, explicou Roberval Andrade.

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PILOTOS NA F-TRUCK

Novidade interessante aparece também pelo lado da impecável sede da DF Motorsport em Sorocaba, interior de São Paulo. O time comandado por Djalma Fogaça, várias vezes campeão brasileiro em outras categorias, apresentou em fevereiro a nova equipe com o novo companheiro, o também paulista Urubatan Helou, que já correu algumas provas na F-Truck e tem experiência no automobilismo norte-americano.
Mas a grande novidade da DF Motorsport é o programa de desenvolvimento de novos pilotos, uma espécie de academia de esportistas, receitas há vários anos utilizados por fábricas e equipes da Fórmula 1 na formação e desenvolvimento de jovens pilotos. Assim como foram “construídos” pilotos como Alan Prost, quatro vezes campeão do mundo, nos anos 70 e 80 pelos programas da Renault e Elf (atualmente o brasileiro Luca di Grassi também participa), e o brasileiro Ricardo Zonta pela Mercedes-Benz, a DF Motorsport Ford também montou seu programa de desenvolvimento de jovens talentos. Dois pilotos de kart foram escolhidos a dedo para o projeto da DF Motorsport Ford: Cláudio Alexandre Roda e Yuri Alves, os dois com menos de 25 anos e sem qualquer condição financeira de manter uma carreira no automobilismo. “Nós escolhemos levando em conta o talento dos pilotos e sabendo que eles não teriam condições de bancar uma carreira. Vamos trabalhar para que eles estejam na F-Truck em um ou dois anos”, conta Djalma Fogaça, que também confessou ser um deles, seu substituto no ano que vem.

Mais uma novidade relevante nessa temporada da F-Truck: a estréia do talentoso piloto brasileiro que se projetou no kart brasileiro no final da década de 90, Danilo Dirani. Com 26 anos, Dirani foi o primeiro campeão da Seletiva Petrobras de Kart em 1999, arrematou outros títulos no kart e quando passou para o automobilismo foi campeão da F-3 sul-americana e venceu várias provas na F-3 inglesa. “Esse menino é muito bom”, disse Aurélio Félix, ainda vivo, quando Dirani fez testou o Mercedes-benz da ABF no ano passado em Guaporé, 20 dias antes da prova. Dirani disse estar entusiasmado em participar em um dos melhores eventos esportivos brasileiros, mas que deverá ter um trabalho no início para se adaptar ao equipamento – “Dei poucas voltas e cheguei a andar um segundo acima do tempo do Cirino (Wellington), mas senti que o F-Truck é bem diferente de tudo o que eu já guiei”, contou o piloto que correrá de Volvo e terá como companheiro na ABF Volvo, o paranaense Fabiano Brito.

Os pilotos da RM Competições Volkswagen têm uma razão especial para a animação no início da temporada de 2009. Nos testes que fizeram em Curitiba no início de fevereiro, aprovaram o novo câmbio da ZF que sempre foi uma temeridade dos adversários. O equipamento chamado de câmbio de competição desenvolvido pela ZF e proibido de ser usado no passado foi liberado no novo regulamento deste ano. Para quem viu Renato Martins, Débora Rodrigues, Felipe Giaffone e Walmir Benavides andando em Curitiba, os Volkswagen estarão várias vezes nos pódios deste ano. “Eles não perdem o giro no motor nas passagens de marcha com o câmbio escalonado. Vamos ter que correr atrás de novos desenvolvimentos para andar junto com o Volks”, lembra Djalma Fogaça, que testou seu Ford nos mesmos dias na pista paranaense. Renato Martins, dono da equipe faz questão de amenizar essa vantagem “Acho que é um desenvolvimento normal como todas as equipes fazem com o novo regulamento do ano. Todos os anos aparecem novos componentes e é por isso que a F-Truck está sempre competitiva”, diz o maior vencedor da F-Truck com 27 vitórias.

Muitas outras novidades serão anunciadas nos treinos em Guaporé, quando os times se apresentarão com seus novos F-Truck com novas pinturas. Nos dias 6, 7 e 8 de março, os novos F-Truck se encontram para medir forças do início da temporada em Guaporé. É de lá que vai sair o trabalho intensivo para as outras nove etapas do ano, incluindo uma prova na Argentina. Serão dez provas durante o ano e nem sempre na F-Truck, as boas performances das primeiras provas apontam os finalistas da temporada. O ano promete boas disputas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *