Truck: Cirino mantém a liderança da Fórmula Truck

Piquet chega em terceiro e fica a apenas três pontos da liderança, enquanto que a Mercedes-Benz abriu 53 pontos de vantagem no Campeonato de Marcas.

Na melhor prova do ano, vencida pelo catarinense Luiz Carlos Zappellini, o paranaense Wellington Cirino, da equipe ABF/Mercedes-Benz, abandonou a oitava etapa da temporada, disputada hoje (domingo), em Curitiba, no Paraná, mas mantém a liderança do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. Ela soma agora 127 pontos, três a mais do que seu companheiro de equipe Geraldo Piquet, que foi um dos destaques da etapa curitibana.

No Campeonato de Marcas, a Mercedes-Benz colocou seus quatro pilotos na zona de pontuação. Além de Piquet, Vinicius Ramires e Vignaldo Fizio, que foram ao pódio, Cirino marcou quatro pontos. A Mercedes soma 303 pontos, 53 a mais do que a Volkswagen.

Luiz Carlos Zappellini venceu a prova, completando as 31 voltas em 1h00m58s597, chegando 5s214 à frente de Vignaldo Fizio. Geraldo Piquet se classificou em terceiro, à frente de Vinicius Ramires (SP), Gaston Mazzacane (Arg), Jonatas Borlenghi (SP), João Maistro (PR), Adilson Cajuru (SP), Débora Rodrigues (SP) e Wellington Cirino (PR), que pela ordem, fecham as 10 primeiras colocações da corrida.

Prova empolgante

A prova de Curitiba foi empolgante, a começar pela largada, quando Roberval Andrade superou o pole e seu companheiro de equipe Beto Monteiro. Geraldo Piquet, da equipe ABF/Mercedes-Benz, pulou de sétimo para segundo e Cirino de 12º para oitavo. Geraldo passou a pressionar Roberval. O duelo entre os dois continuou até a 24ª volta, quando o pneu traseiro direito de Roberval se deteriorou e Piquet assumiu a liderança, mas ela durou apenas duas voltas. O caminhão passou a apresentar problemas com os freios e na 27ª perdeu a ponta para Zapellini e o segundo lugar para Vignaldo Fizio. Nas cinco voltas seguintes, Zappellini e Vig travaram sensacional duelo pela liderança, escorregando nas curvas, saindo de pista, mas no final Zappellini levou a vitória para Santa Catarina, repetindo a vitória de 2005 na pista curitibana. Vig comentou que ficou sem freios nas últimas voltas.

Cirino também fez uma boa corrida, chegou a andar em quarto da nona a 13ª volta, quando se caminhão começou a apresentar problemas na embreagem, até abandonar faltando quatro voltas para o final da corrida.

Briga pela liderança

Cirino e Piquet continuam brigando pela liderança do campeonato. Cirino é o primeiro colocado, com 127 pontos, ao passo que Piquet ocupa a vice-liderança, com 124.

Piquet comentou na coletiva de imprensa que o resultado foi importante para o campeonato porque chegou em Curitiba com uma desvantagem de 18 pontos em relação ao seu companheiro de equipe e baixou esta diferença para três pontos.

“Estive perto de vencer esta prova, mas quando assumi a liderança logo os freios começaram a sar sinais de que estavam com problemas. Fui ultrapassado pelo Zappellini e pelo Vig, e tive que pilotar com muito cuidado. Mas mesmo assim ainda dei umas escapadinhas da pista”, afirmou Piquet.

Piquet também comentou que a briga pela liderança do campeonato será empolgante em Tarumã e diz que até chegar a Brasília, em dezembro, muita coisa pode acontecer. “Tudo pode acontecer em Tarumã e agora somente cinco pilotos têm chances de ser campeão”, acentua Piquet, referindo a Roberval Andrade, Felipe Giaffone e Valmir Benavides, os únicos que ainda ameaçam os pilotos da ABF/Mercedes-Benz na luta pelo título.

Já Wellington Cirino frisou que o mais importante na etapa de Curitiba foi Geraldo Piquet ter terminando em terceiro. O resultado é fruto do trabalho da equipe e nas duas próximas etapas vão trabalhar para levar a equipe ao título do Campeonato de Pilotos e a Mercedes-Benz a se sagrar campeã de Marcas. “Quebramos a embreagem. Os problemas começam na metade da corrida. Poderíamos ter conquistado o terceiro lugar”, finaliza Cirino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *