Truck: Em sua ‘segunda casa’, Beto Monteiro mantém expectativa de vitória

Piloto pernambucano busca recuperação no campeonato na quarta etapa, em Fortaleza, prevendo equilíbrio extremo no cronômetro.

Otimismo é o que não falta a Beto Monteiro na quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. O piloto pernambucano da Roberval Motorsport vê boas possibilidades de estar entre os três primeiros na classificação final da corrida de domingo (1º), que será disputada no Autódromo Internacional Virgílio Távora, em Eusébio, região metropolitana de Fortaleza. A pista cearense mede 1.780 metros e é a mais curta do calendário.

Único nordestino a disputar a Truck, Monteiro afirma que Fortaleza é sua “segunda casa”. “É claro que o lugar onde mais me sinto em casa é Caruaru, no meu estado, mas corri por muitos anos aqui no Ceará, fiz muitos amigos atuando no automobilismo daqui e sempre posso contar com o carinho da torcida. É como se fosse minha segunda casa, mesmo”, ele define. “É um lugar bem apropriado, eu acho, para voltar a vencer na categoria”, anima-se.

Monteiro ganhou a primeira corrida do ano, na pista gaúcha de Guaporé, e assumiu a liderança do campeonato. Na seqüência, abandonou as duas etapas – teve problemas com o gerenciamento eletrônico do caminhão em Goiânia e, em Caruaru, teve um furo no tanque de combustível. Está em sexto na tabela. “Minha posição no campeonato não reflete a realidade da minha participação. Tive dois problemas, infelizmente, mas terminaria bem estas corridas”, diz.

A experiência na categoria, onde compete desde 2001 e foi campeão em 2004, não exime o piloto pernambucano da sensação de novidade a cada corrida de 2008. É o primeiro campeonato em que ele pilota um caminhão Scania. “Tudo é novidade, em cada pista, em cada evento. Eu estou bastante otimista, a equipe é sempre muito rápida aqui. É uma corrida que vai ter mais pilotos na disputa pela vitória, mas acho que também estamos na briga”, pondera.

A perspectiva de maior equilíbrio é justificada por Monteiro pela extensão da pista. “Quanto menor a pista, obviamente, menores são as diferenças de tempo entre os pilotos, todos vão virar muito próximos nos treinos e nesse panorama um detalhezinho a mais pode fazer uma grande diferença”, considera. “Nossa equipe vive um bom momento, e como eu disse o sexto lugar na pontuação não reflete o nosso potencial, mas pretendo me recuperar a partir de agora”, avisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *