Truck: ‘Erro de cálculo’ tira Muffato do pódio na sétima etapa em Curitiba

Paranaense faz prova de recuperação, perde posições por conta de saída
de pista nas voltas finais e define etapa como ‘a mais divertida do ano’.


Disputada no último domingo (8) no Autódromo Internacional de Curitiba, a sétima etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck foi a corrida mais divertida da atual temporada para Pedro Muffato. A definição foi do próprio piloto paranaense, que ocupou o 23º lugar no grid e terminou a prova em sexto, mesmo depois de perder duas posições uma saída de pista a duas voltas do final, numa tentativa de ultrapassagem.

“Fazia muito tempo que eu não ultrapassava tantos pilotos numa corrida”, afirmou Muffato, que tem no Scania eletrônico número 20 da MP Motorsport as logomarcas dos patrocinadores Autotrac, Faculdade Assis Gurgacz, Muffatão e Coopavel e dos parceiros Tuzzi, Fras-Le e Rodafuso. “Foi uma corrida divertida, se tivesse largado entre os primeiros teria uma chance considerável de ganhar. O caminhão estava muito forte”, atestou.

Muffato largou do fim do pelotão porque, durante os treinos classificatórios de sábado (7), excedeu o limite de velocidade em frente ao radar e teve anulado o tempo de volta. Durante a corrida, uma nova infração ao radar o levou de volta aos boxes, para cumprir um stop and go, quando era sétimo colocado. “Fiz muitas ultrapassagens, mas no calor daquela disputa toda eu acabei estourando o radar na corrida, também. Isso prejudicou”, lembrou.

O paranaense entende que sua prova de recuperação foi comprometida, também, pelo tempo em que permaneceu atrás do brasiliense Geraldo Piquet. “Eu tinha um caminhão mais rápido que o dele no miolo, mas não conseguia passar. É importante destacar que ele jogou muito limpo, não tentou me tirar da pista, nem nada parecido. Quando consegui passar por ele, os outros estavam muito longe, seria difícil alcançar mais alguém”, conta.

A ultrapassagem sobre Piquet na 23ª volta, consolidada após seis voltas de ataque, deu a Muffato o quarto lugar na corrida. Àquela altura, Renato Martins, o líder do campeonato, estava em segundo e tinha a barra estabilizadora de seu Volkswagen solta. Débora Rodrigues, também piloto da Volks, era terceira. “Eu já estava conformado com o quarto lugar. Quando vi que o Renato tinha problemas, decidi atacar, pensando no campeonato”, lembra.

A duas voltas do final da corrida, Pedro empreendeu uma tentativa de ultrapassagem sobre Débora. “Tentei pelo lado de fora e cheguei a passar, mas não considerei, naquela hora, que estava no lado sujo da pista. Perdi aderência e por isso saí para a grama”, lamenta, descrevendo a manobra que lhe custou duas posições. “Se passasse por ela sem problemas, poderia até pensar num ataque para cima do Renato. Enfim, deu no que deu”.

Com o sexto lugar na corrida, Pedro foi a 88 pontos. Está empatado com o paulista Vinicius Ramires, que venceu a prova de Curitiba. Martins, que mesmo com o problema manteve-se em segundo, é líder com 111. “O campeonato, para mim, ficou muito difícil, mas não descartamos nada. Ainda temos duas corridas e 56 pontos em jogo. Vamos continuar trabalhando para conquistar vitórias”, diz. A próxima etapa, no dia 12 de novembro, será em Porto Alegre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *