Truck: Para Muffato, Aurélio mostrou que garra e honestidade tornam o esporte viável

Piloto vê criador da Truck, a quem visitou na UTI em seu último dia de vida, como “maior empreendedor de corridas do país em todos os tempos”

O piloto Pedro Muffato desembarcou na manhã desta quinta-feira (6) em Santos, no litoral paulista, para acompanhar os ritos de despedida a Aurélio Félix, criador e ex-promotor do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. Abalado, o paranaense, que atua na categoria competindo com um caminhão Scania, definiu Aurélio, que morreu quarta-feira (5) na cidade de Passo Fundo, como “um leão”. “Ele foi um lutador incansável, que morreu lutando”, disse.

“Sem dúvida, Aurélio Félix foi o maior empreendedor do automobilismo brasileiro de todos os tempos”, atribuiu Muffato, credenciado pela experiência de mais de quatro décadas no esporte. “Ele soube produzir automobilismo. Mostrou, com seu modo de fazer as coisas, que o automobilismo, quando executado com honestidade, seriedade, garra, talento e dedicação, pode ser extremamente viável. Eu disse isso a ele muitas vezes em vida”, relatou.

Muffato reconhece que Félix submetia-se, no comando da Fórmula Truck, a um ritmo de trabalho extenuante. “O momento é de dor, estamos extremamente abalados, mas analisando friamente, o Aurélio dedicava sua vida integralmente à sua categoria. Ele já havia passado por problemas de saúde, mas sempre voltou ao ritmo do trabalho pelo qual tinha tanta paixão. Ele não dava a si próprio um tempo e um espaço para descansar, para desestressar”, ponderou.

Pedro Muffato esteve com Aurélio Félix em seu último dia de vida. Visitou-o, na tarde de quarta, na UTI do Hospital São Vicente de Paula, em Passo Fundo, onde estava internado desde domingo. “Além de visitar um grande amigo, retribuí a uma gentileza dele”, definiu o piloto, que foi submetido em 2007 a um delicado procedimento cirúrgico e recebeu, na UTI do Hospital Policlínica, em Cascavel, a visita de cortesia do criador da Fórmula Truck.

“Estive com o Aurélio durante boa parte da tarde. Naquela que acabou sendo nossa última conversa, recomendei ao Aurélio que, assim que ficasse bom, diminuísse o ritmo de trabalho, que desse um tempo para ele mesmo”, relevou Muffato. “Mas tenho certeza de que, caso tivesse mesmo se recuperado, o Aurélio iria mesmo continuar com seu show, dedicando a vida a manter a Fórmula Truck como o fenômeno que é. Aurélio era incansável”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *